Sexta, 10 de julho de 2020   -     04:17 |

Enfermeiro se recupera da Covid-19 e volta ao trabalho

 Foto: Divulgação/ SES

O enfermeiro Max Rodney Cindra Braga, de 43 anos, ficou curado do novo coronavírus após nove dias de luta contra a doença. Ele, que chegou a ficar na UTI do Hospital Estadual Zilda Arns, em Volta Redonda, Sul do estado do Rio de Janeiro, destacou a vitória contra o vírus e virou notícia porque decidiu voltar ao trabalho após o período de recuperação.

Max deixou o hospital no dia 29 de abril. Ele estava com dificuldades para falar, mas se expressou por meio de uma frase impressa em uma folha, que segurou no dia da alta médica. As informações são do jornal EXTRA.

– Eu venci – destacou o enfermeiro, por meio do papel que carregou ao deixar a unidade.  

– Eu venci – destacou o enfermeiro, por meio do papel que carregou ao deixar a unidade.

Foto: Arquivo Pessoal

Ele trabalha no SAMU de São João de Meriti e, mesmo com 10 quilos a menos por conta da Covid-19, decidiu que voltaria a trabalhar na linha de frente da luta contra a doença. Na última segunda-feira (11), Max voltou à atuar na ambulância.

– Assim que atestei que estava curado, insisti com a minha chefe para voltar a trabalhar e já estou atendendo. Tem muita gente morrendo, muitos colegas estão em baixa, há muitos profissionais da Saúde esquecidos. Eu não podia ficar parado – disse.

Diante de tudo o que experimentou, ele ressaltou que o trabalho dos profissionais de Saúde precisa ser reconhecido.

– Foi terrível. Eu quase fui entubado por diversas vezes. Gerava em mim um pânico muita grande, um medo. Por ser profissional de saúde, eu via o monitor de saturação baixando e sabia que podia acabar sendo entubado. Eu sabia que se isso acontecesse eu podia não voltar mais. Dos 20 leitos à minha volta, somente eu e outro paciente não precisamos ser entubados. O cenário é muito preocupante, era um circo dos horrores. Nós temos que reconhecer a excelência desses profissionais de Saúde no Zilda Arns, essas pessoas precisam ser reconhecidas – falou.

* Com informações do Pleno News

 

Dê sua opinião: