Quinta, 25 de fevereiro de 2021   -     15:54 |

Auxílio Emergêncial: CPF indica quanto você vai receber


O CPF será o novo modo das pessoas tirarem as dúvidas do novo Auxílio Emergencial que deverá ser pago a partir de março. O governo criou um passo a passo que vai ajudar você a acabar com suas dúvidas sobre o auxílio ou consultar informações realcionadas aos pagamentos. A grande novidade é que bastará você estar com o CPF em mãos que o processamento seja feito pela Dataprev.

O Novo sistema contém uma cartilha com informações sobre como o cidadão conseguirá fazer a verificação de sua situação em relação ao auxílio emergencial.

Também contém uma cartilha com informações sobre como o cidadão poderá verificar sua situação em relação ao auxílio emergencial.

Uma outra possibilidade, é consultar o saldo disponível para movimentação, pagamentos, saques e transferências, usando o aplicativo Caixa Tem (disponível em Android e iOS).

Aplicativo auxílio emergencial do Governo Federal. Foto: Reprodução/Agência Brasil


Auxílio emergencial 2021

Enquanto isso, o povo está na expectativa do retorno do auxílio emergencial, que segundo o governo, será pago em quatro parcelas de R$ 250,00. Sendo assim, o auxílio começará a ser pago em março e terminará em junho de 2021.

A volta do auxílio emergencial não significa que haverá uma outra extensão, pelo menos é o que descarta o presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

“No momento, a nossa equipe, juntamente com parlamentares, estuda a extensão por mais alguns meses do auxílio emergencial, que – repito – o nome é ‘emergencial’. Não pode ser eterno porque isso representa um endividamento muito grande do nosso País e ninguém quer o País quebrado”.

Existe a possibilidade do valor das parcelas serem entre R$ 200 ou R$ 250,00. Para o ministro da Economia, Paulo Guedes, a liberação do auxílio vai depender da aprovação das propostas em negociação no Senado e do Orçamento de 2021. Guedes, ressalta que precisa de segurança jurídica, sendo ela uma declaração de calamidade ou uma reformulação na edição da PEC do orçamento de guerra.

Fonte: Jornal Contábil

Dê sua opinião: