5000onon

Senador do Pará envia nota ao Carta Piauí e nega briga com ex-cunhada

Por meio de sua assessoria, o senador Paulo Rocha (PT-PA) entrou em contato com o Portal Carta Piauí e rebateu a reportagem sobre o fato de a Justiça de Belém do Pará ter determinado a adoção de medidas protetivas em favor de sua ex-cunhada, obrigando-o a se afastar dela para não ser preso.

Leia à íntegra da nota do senador:


Repudio qualquer insinuação de ter segurado o braço de uma pessoa e impedido sua locomoção. No último dia 3/5, em meu escritório, mantive diálogo com a minha ex-cunhada para pedir a devolução de um imóvel, alugado em meu nome. O proprietário não tinha mais interesse na sua locação e me cobrou a remissão do referido imóvel. Já faz aproximadamente quatro meses que a minha ex-cunhada ocupa o local indevidamente.

O encontro teve testemunhas e a ex-mulher do meu irmão concordou com a restituição. Porém, na hora de assinar o documento, que estabelecia prazo, ela levantou-se e encaminhou-se em direção à porta de saída. O assunto já está na órbita judicial, onde será devidamente esclarecido, com documentos e testemunhas.

Apoio a luta da mulher por respeito e dignidade e contra toda forma de violência. Avalio que reconhecer o valor da mulher e respeitar suas peculiaridades é um passo determinante para a solidificação dos preceitos democráticos de qualquer país. Entre os compromissos de meu mandato no Senado Federal, está o de trabalhar pelo cumprimento das leis contra a violência doméstica e de gênero.


A denúncia:

Conforme matéria do Portal O Antagonista, Nadime Jorge Sauaia Pereira Martins foi à delegacia de atendimento à mulher e contou que, no último dia 3, foi chamada para uma reunião com o senador.

No local, após trancá-la em uma sala, Rocha teria a segurado pelo braço e ordenado que saísse imediatamente da casa onde mora com o filho, porque o imóvel pertenceria a freiras do Instituto das Irmãs Missionárias do Sagrado Coração Eucarístico de Jesus.

“Tens que sair imediatamente do imóvel porque tu estás sendo um impasse pra mim!”, teria dito o senador, que, ainda segundo Nadime, manda pessoas lhe telefonarem para que desocupe a casa.

No depoimento à polícia, ela disse que “teme por sua integridade física e sente-se ameaçada e perturbada em sua tranquilidade com relação as importunações do ex-cunhado”.

No dia 4, a juíza Sarah Castelo Branco Monteiro Rodrigues determinou o afastamento de Paulo Rocha com base na Lei Maria da Penha.

“A conjuntura exposta revela o comportamento agressivo do ofensor, de tal modo que o receio da requerente de que as atitudes se agravem por parte de seu ex-cunhado, bem como a necessidade de ser plenamente resguardada a integridade física e psicológica da ofendida, justificam o deferimento das medidas pleiteadas em caráter de urgência”, diz o despacho.



Dê sua opinião: