Quarta, 17 de julho de 2019   -     22:11 |
5000onon

Promotor analisa inconstitucionalidade sobre viagem à Europa da prefeita de Esperantina

No último dia 02 deste mês, o promotor enviou um oficio para o Setor Pessoal da Prefeitura Municipal, solicitando informações a cerca dos vencimentos que a gestora recebeu no período da viagem. Ele deu o prazo de 10 dias para que as informações solicitadas sejam enviadas para o Ministério Público, a fim de concluir o procedimento investigatório.

Vilma é acusada de ter viajado para alguns países da Europa e não ter pedido autorização da Câmara Municipal e nem transmitido o cargo para o vice-prefeito, como rege a Constituição Federal.

O Promotor já ouviu através de depoimentos vários secretários e assessores da prefeita de Esperantina, Vilma Amorim, bem como o presidente da Câmara Municipal, Manoel Filho (PT).

O processo está na fase final, em breve o promotor deverá dar o seu posicionamento a favor do prosseguimento da ação e/ou pelo seu arquivamento.

Segundo o vice-prefeito, Jânio Filho (PSB), a gestora após chegar de sua viagem da Itália no dia 1º de março do ano passado teria marcado uma reunião no gabinete dela com alguns assessores.

Nessa reunião, segundo Jânio Filho, ele teria sido induzido a assinar uma suposta ata de transmissão do cargo com data retroativa.

Já em nota publicada para a imprensa, a gestora alegou que sua viagem foi realizada no período de 15 a 28 de fevereiro de 2018, e que o vice-prefeito gerenciou a administração municipal durante sua ausência.

*Com informações adicionais da Folha de Batalha

Dê sua opinião: