Quarta, 17 de julho de 2019   -     21:31 |
5000onon

PF diz que presidente do TJ-MG favoreceu petista Pimentel

A Polícia Federal suspeita que o desembargador Nelson Missias de Morais, atual presidente do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJ-MG), prestou favores na corte ao ex-governador Fernando Pimentel (PT-MG) e seus aliados políticos.

A PF atribui ao desembargador crimes de corrupção, tráfico de influência e exploração de prestígio, por suposto favorecimento ao ex-governador, reporta a Folha de S.Paulo.

Investigação obtida pelo jornal diz que o magistrado, atual presidente do Tribunal de Justiça (TJ-MG), interferiu em decisões judiciais de outros juízes para atender interesses do governo estadual. Em troca, teria conseguido nomear desembargadora uma advogada a quem é ligado.

Em 2015, a pedido de um subsecretário, teria ajudado a evitar que o Banco Central entrasse num processo contra o uso de depósitos judiciais para pagamento de despesas estaduais. No mesmo ano, teria atuado em favor do ex-chefe da Casa Civil e de um deputado estadual do PT em processos judiciais.

Interceptações telefônicas, cujas transcrições foram obtidas pela Folha, mostram que os políticos e autoridades próximas ao então governador procuravam o desembargador para encaminhar pleitos.

Ao jornal, ele confirmou contatos com Pimentel. “Liguei e falei. Nada que não fosse republicano e não fosse confessável”. O processo contra ele corre em sigilo no Superior Tribunal de Justiça.

Fernando Pimentel - Reprodução/Folha

Dê sua opinião: