5000onon

Oposição tenta colocar 65,6 mil assassinatos do ano 2017 na conta de Bolsonaro

A oposição ao governo e parte da imprensa nacional está usando o Atlas da Violência para combater o decreto de Jair Bolsonaro (PSL) que facilita a posse de armas.

"Mas os números assustadores do estudo referem-se a 2017, demonstrando o absoluto fracasso do Estatuto do Desarmamento", pontua O Antagonista.

O Brasil teve 65.602 pessoas assassinadas em 2017. É o que revela o Atlas da Violência, feito pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública e publicado na quarta-feira (5 de junho de 2019).

O número indica o registro de 1.707 mortes a mais que o divulgado pelo próprio fórum em seu anuário, que tem como base os dados das secretarias da Segurança.

Os dados do Atlas são do Sistema de Informações sobre Mortalidade, do Ministério da Saúde. Trata-se do maior nível histórico de letalidade violenta intencional no país, que atingiu uma taxa de 31,6 mortes violentas para cada 100 mil habitantes.

Os dados de 2017 revelam um aumento da violência especialmente em estados do Norte e do Nordeste do país. Sete unidades da federação tiveram aumento acima de 10%. Apesar disso, vários estados, como São Paulo, continuam a registrar uma paulatina queda.

*Com informações adicionais do G1

Dê sua opinião: