Sábado, 21 de setembro de 2019   -     06:03 |
5000onon

Governo retoma obra de rodovia que cria novo acesso ao Parque de Sete Cidades

 Foto: Reprodução Google

A liberação dos recursos da segunda parcela do Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento (Finisa) permitiu a retomada de mais uma obra do Governo do Estado. O Instituto de Desenvolvimento do Piauí (Idepi) reiniciou a construção da rodovia que ligará o município de Brasileira até o entroncamento da PI-111, criando um novo acesso ao Parque Nacional de Sete Cidades, no nordeste do estado.

O trecho de 10,2 km será todo asfaltado e permitirá que o turista visite o parque sem necessariamente passar pelas cidades de Piracuruca ou Piripiri, até agora os únicos acessos existentes ao local. O presidente do Idepi, Leonardo Sobral, comenta que a obra é um importante instrumento para ampliar o desenvolvimento turístico da região. O valor do investimento é de R$ 3,7 milhões e usará também recursos oriundos do Finisa 2. A obra ficará pronta em seis meses.

O Finisa é produto lançado pela Caixa Econômica Federal para facilitar a concessão de crédito para obras de saneamento ambiental, transporte e logística e energia. O Piauí solicitou, em junho de 2017, um contrato solicitando R$ 600 milhões do programa para investimentos no estado. No entanto, apenas a metade foi liberada no início. A outra metade somente foi disponibilizada em junho de 2019.

Em janeiro de 2018, o Piauí assinou outro contrato com a Caixa, que ficou conhecido como Finisa 2, no valor de R$ 315 milhões. O objetivo também era investir em obras de infraestrutura.

O Parque Nacional de Sete Cidades possui uma área de 6,2 mil hectares, abundante em ecossistemas naturais de grande relevância ecológica e beleza cênica. Numa área de transição entre caatinga e cerrado, reúne sete grupos de formações rochosas apelidados de “cidades”, daí o nome do parque. Ventos, chuvas, calor e flora esculpiram os monumentos naturais, dando origem a formas que lembram símbolos, animais e figuras humanas. 

* Com informações da Ccom 

Dê sua opinião: