Quinta, 01 de outubro de 2020   -     18:46 |

Defesa de Witzel diz que recebe afastamento" com surpresa" e que decisão é "monocrática"


A defesa do governador Wilson Witzel (PSC-RJ) disse, por meio de nota, que o afastamento do cargo de governador, inicialmente por seus meses, foi uma "grande surpresa" e que tomará "medida cabíveis".

O afastamento foi determinado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) por denúncias de irregularidades na Saúde.

Witzel e outros oito investigados, incluindo a primeira-dama Helena Witzel, foram denunciados pela Procuradoria-Geral da República (PGR).

Conforme apurou o Portal G1, não há ordem de prisão contra o governador. As diligências foram autorizadas pelo ministro do do STJ Benedito Gonçalves.

A Procuradoria-Geral da República denunciou Witzel e mais oito pessoas por corrupção sob suspeita de envolvimento em um esquema de desvios de recursos na saúde.

A acusação foi levada em conta pagamentos efetuados por empresas ligadas ao empresário Mário Peixoto ao escritório de advocacia de Helena Witzel, mulher do governador. Também é objeto da denúncia pagamentos feitos por empresa da família de Gothardo Lopes Netto, médico e ex-prefeito de Volta Redonda ao escritório da primeira-dama.

Conforme consta da acusação encaminhada ao STJ, a contratação do escritório de advocacia consistiu em artifício para permitir a transferência indireta de valores de Mário Peixoto e Gothardo Lopes Netto para Wilson Witzel.

Dê sua opinião: