5000onon

Ciro Nogueira e Marcelo Castro não assinaram requerimento para criar CPI para investigar crime em Brumadinho

Ciro Nogueira (Progressista) e Marcelo Castro (MDB), ambos do Piauí, não constam na lista de apoiadores da instauração de uma CPI para apurar denúncias da prática de crimes em torno do rompimento da barragem de Brumadinho-MG. O site O Antagonista divulgou a relação de 30 senadores, na qual não constam os nomes dos piauienses, nesta terça-feira (05). 

Foto: Ciro Nogueira e Marcelo Castro (Reprodução/TV Senado)

Carlos Viana, do PSD de Minas Gerais, um dos autores do requerimento de criação da CPI, disse ao O Antagonista ter a informação de que a Polícia Federal apura a denúncia de que a barragem da Vale ameaçou romper nove dias antes do desastre. “A Vale decidiu não acionar o plano de emergência. Nós vamos para cima da Vale, vamos para cima dessa irresponsabilidade.”

A CPI de Brumadinho já tem assinaturas suficientes para ser instalada no Senado: 30 senadores apoiaram a proposta — bastavam 27. Outro documento idêntico circula na Câmara dos Deputados e conta com mais de 200 assinaturas.

“A CPI é para investigar barragens e mineração de maneira geral, mas as denúncias de O Antagonista são pontos cruciais a serem investigados pela CPI. O presidente da Vale e seus diretores têm serão os primeiros convocados”, disse o senador Randolfe Rodrigues.

Mais cedo, O Antagonista revelou que a Vale assinou em dezembro contrato de quase R$ 2 bilhões com uma empresa não-operacional para beneficiamento de resíduos minerários a seco – o que substituiria o perigosíssimo sistema de barragens.

A New Steel, desconhecida do mercado, tem entre seus sócios o empresário Marcelo Soares Pereira, o Tuca Maia, amigo de Aécio Neves – que, em diálogo com Joesley Batista, admitiu ter indicado Fabio Schvartsman para o comando da Vale.

Tem que investigar tudo!

Fonte: O Antagonista

Dê sua opinião: