Terça, 14 de julho de 2020   -     16:13 |

Bolsonaro aponta erros da OMS e decreta: ‘Perdeu a credibilidade’

O presidente Jair Bolsonaro voltou a criticar, na live desta quinta-feira (11), a postura da Organização Mundial da Saúde na pandemia do novo coronavírus. Acompanhado de Filipe Martins, recém promovido a assessor chefe de Assuntos Internacionais, Bolsonaro apontou as contradições do órgão e disse que a OMS “perdeu a credibilidade”.

"Organização que o tempo todo está na direita e esquerda, está oscilando, bastante contraditória, assumiu posições favoráveis ao isolamento, favorável e contraria a máscara, a penúltima contraria a cloroquina e depois favorável. A penúltima, a questão da transmissão de assintomáticos. Disse primeiro que a chance era quase zero e depois não deixou de desmentir, mas falou que existe a transmissão, quem sabe 0,01 dos assintomáticos. Falou isso para confundir e não foi claro até que pontos as pesquisas chegaram. Essa possível transmissão pode ser a cada 1 mi, 1 transmitir. OMS perdeu a credibilidade", avaliou.

Bolsonaro também comentou sobre as ações que tramitam no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que pedem a cassação da chapa que o elegeu ao lado de Hamilton Mourão. Entre elas está uma que, segundo Bolsonaro, foi motivada por causa de um hackeamento de uma página nas redes sociais.

"Uma brincadeira, né? O TSE começou a julgar, relator, ministro OG [Fernandes] deu [voto] pelo arquivamento. Fachin pediu vista e apresentou voto dizendo que as investigações deveriam continuar sobre quem hackeou a página. Vamos supor que o João da Silva resolveu fazer isso: impugnar a chapa? Esse cara é um gênio por interferir nas eleições. Ele arranjou 50 milhões de votos pra mim e derrotou o Haddad", ironizou.

Ele disse ainda que isto é uma forma de tirá-lo do poder “no tapetão”.

"É uma tentativa de querer decidir no tapetão. A gente fica preocupado, mas não tem cabimento prosperar essa ação. Com todo o respeito ao TSE, deveria ser arquivada de ofício", apontou.

Dê sua opinião: