Sábado, 04 de dezembro de 2021   -     13:50 |

Defesa: Advogado nega ligação entre Arimatéia Azevedo e o procurador Rony Samuel

O jornalista Arimateia Azevedo, preso na manhã desta quinta-feira (07) por determinação judicial, passou por audiência de custódia no Fórum Criminal de Teresina e foi encaminhado para a penitenciária Irmão Guido, na BR 316. De acordo com o advogado Paulo Germano Aragão, que representa o jornalista, Arimatéia deve ocupar uma sala de estado maior no presídio, devido à idade avançada (68 anos) e os problemas de saúde que enfrenta.

Arimateia Azevedo e o advogado Rony Samuel são investigados em um inquérito que apura uma suposta tentativa de extorsão contra um empresário do ramo de medicamentos. 

Segundo o advogado, um pedido de habeas corpus foi apresentado ao poder judiciário para revogar a prisão preventiva. Paulo Germano Aragão diz que Arimatéia Azevedo não tinha conhecimento da troca de mensagens entre o advogado Rony Samuel e o empresário que foi vítima, apontada pelas investigações como uma tentativa de extorsão.

“Ele na verdade foi uma vítima no processo. O que está sendo dito é que o sujeito chamado Rony, que é uma pessoa que passa informação para os jornalistas, uma fonte, teria achacado o empresário. Não utilizou o nome de Arimatéia Azevedo e nem o empresário, no depoimento, não utilizou o nome do Arimatéia Azevedo. De maneira impressionante, uma decisão manda prender o Arimatéia. A prisão é teratológica, fora do normal”, destacou o advogado. 

A defesa também questiona o fato de a prisão ter sido decretada sem o jornalista ter sido ouvido durante as investigações. “Os direitos fundamentais dele não foram respeitados. É um homem de 68 anos que acabou de passar por uma cirurgia cardíaca”, disse.

Dê sua opinião: