Sábado, 19 de junho de 2021   -     18:04 |

Restos mortais de mulher desaparecida há 5 anos são encontrados no quintal de residência

Foto: Reprodução /Maria Jaqueliny Mendes e Silva

A Polícia Civil, através do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), encontrou na noite desta quinta-feira (06) os restos mortais de Maria Jaqueliny Mendes e Silva, que estava desaparecida desde 2015. O corpo foi encontrado no quintal de uma residência localizada no bairro Monte Alegre, zona norte de Teresina.

O imóvel pertencia à vítima, mas havia sido vendido pelo seu ex-companheiro, Jairo Silva Santana, principal suspeito do crime. O homem teve o mandado de prisão cumprido contra si na manhã desta sexta-feira (07), pelos crimes de homicídio e ocultação de cadáver.

De acordo com as investigações, em outubro de 2020 familiares registraram o boletim de ocorrência informando o desaparecimento de Jaqueliny, informando que ela não dava notícias desde 2015. Ainda segundo a Polícia, uma das filhas da mulher chegou a informar que tinha pesadelos cada vez mais frequentes com a mãe pedindo socorro.

"Foi informado ainda que a vitima morava sozinha no bairro Monte Alegre e se relacionava com Jairo, que por sua vez era casado.  Tal relação era abusiva e com vários episódios de violência física e moral contra a desaparecida", informou o DHPP.

Durante as investigações, a Polícia tomou conhecimento que a residência onde morava Jaqueliny a havia sido vendida por Jairo no mesmo ano do desaparecimento, com o argumento de que a mulher havia ido embora para o estado Maranhão."Os vizinhos relataram que a vitima era constantemente agredida e que há 05 anos houve uma fatídica noite no qual ouviram gritos de jairo e Jaqueliny discutindo e brigando. Nessa confusão houve barulho de objetos quebrando dando a entender que eles estavam em luta corporal. Por fim informou-se que Jaqueliny chegou a pedir socorro e gritar que Jairo ira lhe matar e após isso tudo silenciou", informou o DHPP.

Foto: Reprodução/Jairo Silva Santana

Após ser preso e interrogado, Jairo a princípio negou a autoria do crime, mas após se deparar com fatos já comprovados, acabou confessando o crime e, no horário da tarde, se dispôs a informar o local onde o corpo teria sido enterrado.

Às 23h desta quinta-feira, após exaustivo trabalho de escavação realizado por equipe que acompanhava os membros desta DHPP, foram encontrados ao lado de um pé de manga que fica localizado no quintal da residência onde morava Jaqueliny,  varias peças de roupas femininas e uma ossada completa de corpo adulto.

Os  restos mortais serão objeto de verificação de compatibilidade genética para comprovar a identidade de Jaqueliny Mendes e Silva.

* Com informações da Cidade Verde

Dê sua opinião: