Quinta, 09 de dezembro de 2021   -     05:15 |

Mãe assume ter assassinado a própria filha advogada com facada no pescoço

Durante audiência de instrução e julgamento dos réus do caso da morte da advogada Izadora Mourão, de 41 anos, realizada na quarta-feira (23), a mãe da vítima, Maria Nerci, assumiu a autoria do crime.

Segundo a advogada de defesa dos réus, Esmaela Macedo, as provas da perícia apontam que houve apenas um autor do crime ocorrido na cidade de Pedro II. A advogada ressalta que o irmão de Isadora, João Paulo Mourão, apontado como autor material, não estava na cena do crime, já que não há provas da presença de João Paulo nos laudos da perícia.

De acordo com a advogada, a audiência foi realizada de forma virtual e os réus foram ouvidos novamente. Na oportunidade, Maria Nerci assumiu que teria assassinado a filha, mas não explicou os motivos do crime.

“Todas as provas foram conclusivas em excluir João Paulo ,definitivamente, da cena do crime. As provas apontaram que toda culpa está direcionada exclusivamente sobre a mãe”, conta a advogada Esmaela. 

Ainda de acordo com a advogada, a mãe contou que tinha desentendimentos com a filha e que no dia do crime houve uma discussão entre as duas na cozinha da casa. 

“Ela contou que Izadora foi para o quarto e quando ela cochilou,  ela fez a execução. Primeiro constatou que ela estava dormindo com medo que ela reagisse”, acrescenta a advogada.

A defesa de João Paulo fez um requerimento solicitando a liberdade provisória do advogado e jornalista.

Izadora Mourão, 41 anos, era advogada, e foi assassinada a facadas no dia 13 de fevereiro deste ano na casa em que morava com a família, na cidade de Pedro  II, a 195 Km de Teresina.

Dê sua opinião: