5000onon

Escrivão da Polícia Civil preso por corrupção ostentava vida de luxo em Teresina

O escrivão da delegacia de Polícia Civil de Grajaú, Eldhon Costa, está preso em um das celas do presídio da Polícia Civil, na Cidade Operária, em São Luís. Segundo a polícia, ele foi preso no dia 22 de janeiro acusado de crimes de corrupção, peculato, ameaça, organização criminosa e extorsão.

O escrivão estava sendo investigado pela Superintendência de Combate a Corrupção (Seccor), órgão ligado a Secretaria de Segurança Pública (SSP) e, também, pelo Ministério Público (MP-MA).

Eldhon Costa ostentava nas redes sociais as viagens internacionais que realizava em companhia de amigos. Segundo a polícia, ele levava uma vida de luxo em Teresina, na capital piauiense, incompatível com o seu salário.

Eldhon Costa, preso em Grajaú - Foto: Reprodução

A polícia informou, também, que há suspeitas da existência de outros agentes do Estado envolvidos numa grande organização criminosa, incluindo o delegado da Polícia Civil Idaspe Perdigão, que está preso em São Luís.

Outras prisões:

A Polícia Civil do Maranhão, por intermédio da Superintendência Estadual de Combate à Corrupção (Seccor), prendeu ontem (02) a investigadora de polícia Sandra Helena Alencar Pinheiro, suspeita de integrar o mesmo esquema.

Após a prisão, Sandra foi encaminhada ao Anexo Penitenciário da Cidade Operária, em São Luís. A delegada que comanda o inquérito, Kelly Haraguchi, citou uma das várias ocorrências em que a investigadora estava envolvida com corrupção.

"São vários casos. Ela se juntou com outros policiais e praticou vários atos de corrupção, peculato e extorsão. Teve um menor que tentou assaltar um militar e acabou conduzido para a delegacia. Lá não foi feito o procedimento. Depois, esses policiais fizeram pressão para o pai do menor, dizendo que o filho tinha que morrer, que é ladrão.... (...) O menor disse que apanhou muito na delegacia. Até que chegou um advogado que cobrou um dinheiro e o menor foi liberado", contou a delegada.

*Com informações do Imparcial 

Dê sua opinião: