Terça, 13 de abril de 2021   -     15:57 |

Encontro marcado pela internet: Jovem mata jogadora de e-sports em SP

Uma jogadora de Call Of Duty Mobile de 19 anos foi assassinada na última segunda-feira, 22, por outro jogador que conheceu nas redes sociais no bairro de Pirituba, Zona Norte de São Paulo. Ingrid Oliveira Bueno da Silva, que usava o codinome “Sol” para jogar, tinha conhecido o suspeito, Guilherme Alves Costa, de 18 anos, no mês de janeiro e foi morta a facadas na casa dele no primeiro encontro que tiveram fora das redes. 

   Foto: Reprodução/redes sociais  

Ingrid tinha 19 anos e conheceu seu assassino na     internet


A vítima foi esfaqueada até a morte e, em seguida, o suspeito publicou imagens do assassinato no grupo de um clã de games no WhatsApp. Em nota, o Gamers Elite, dono do grupo no qual Guilherme publicou o vídeo da vítima, afirmou que informou o ocorrido às autoridades e pediu para que todos os participantes não compartilhassem as imagens. 

“Nossa organização jamais compactuou com qualquer ato criminoso de nenhum modo e jamais irá compactuar ou fazer apologias ao mesmo”, diz trecho do documento.

Segundo a Polícia Civil de São Paulo, viaturas foram chamadas ainda na tarde da segunda-feira pelo irmão do suspeito, que encontrou o corpo da vítima em casa. Guilherme fugiu e teria tentado cometer suicídio depois do assassinato, mas desistiu após pedidos do irmão, que o levou à delegacia. 

No local, ele confessou que tinha planejado o crime e disse que conheceu a vítima pela internet há pouco mais de um mês. Além do celular do suspeito, o arquivo digital de um livro que ele teria escrito explicando o porquê de ter cometido o crime foi apreendido pela polícia. Segundo os responsáveis pelo grupo de WhatsApp para qual ele enviou o livro e fotos do crime, a produção do suspeito tinha “mensagens de ódio contra cristãos” e “aceno ao terrorismo”. O caso foi registrado na 87ª Delegacia de Polícia como homicídio qualificado.

A ocorrência chamou atenção para a violência sofrida por mulheres no ambiente dos jogos online. “No cenário de cod mobile muita jogadoras são ameaçadas e fazemos campanhas para combater qualquer tipo de abusos as nossas mulheres. Reflitam sobre o ocorrido e tentem contribuir para um cenário de esport mais saudável e acessível para todos”, afirmou a equipe Jaguares Esports em nota nas redes sociais. O Call of Duty Mobile é um jogo de tiro em primeira pessoa lançado em outubro de 2019. Ele acumula milhões de downloads em celulares nas plataformas iOS e Android.

Fonte: Jovem Pan


    


Dê sua opinião: