Segunda, 22 de julho de 2019   -     18:08 |
5000onon

Delegacia de combate à corrupção e lavagem de dinheiro é inaugurada no PI

A Delegacia de Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro (Deccor-LD) foi inaugurada nesta segunda-feira (17), na Avenida Campos Sales, bairro Marquês, no Centro de Teresina. Segundo a Polícia Civil, a especializada já inicia os trabalhos com mais de 100 inquéritos em andamento.

Segundo a delegada Tatiana Vasconcelos, os alvos são crimes que envolvem corrupção, lavagem de dinheiro e fraudes em licitações.

O delegado Ferdinando Araújo, titular da Deccor, comentou que a unidade nasceu dentro do Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco), do qual ele fazia parte desde janeiro de 2019. “A delegacia foi criada para dar mais autonomia e estrutura para combater esse tipo de crime, que exige uma investigação mais complexa", disse.

De acordo com a Delegacia Geral da Polícia Civil do Piauí, a nova unidade conta com dois delegados, cinco agentes e dois escrivães. A Deccor abre hoje já com mais de cem inquéritos a serem investigados, parte deles oriundos do Greco. Alguns deles já eram investigados pelo delegado Ferdinando.

O delegado geral, Lucy Keyko, comentou que a criação da Deccor segue uma recomendação do Conselho Nacional dos Chefes de Polícia Civil, do qual ele faz parte. Segundo ele, a criação de delegacias e departamentos especializados em combate à corrupção tem se tornado uma tendência nacional. Outros estados como Rio de Janeiro, Maranhão e Ceará criaram órgãos semelhantes recentemente.

O delegado comentou ainda que existe o projeto de, futuramente, criar-se dentro da Deccor um grupo especializado em investigação de casos de lavagem de dinheiro.

“É uma investigação bastante complexa, que exige policiais capacitados em análise de documentos, contratos, quebra de sigilo. Não é o tipo de crime que se comprova apenas com o depoimento de testemunhas, por exemplo. Por isso, é necessário que os delegados e policiais tenham esse conhecimento”, comentou Lucy Keyko.

*Com informações adicionais do G1

*Imagem: Reprodução/Ascom

Dê sua opinião: