Terça, 12 de novembro de 2019   -     07:59 |
5000onon

Coluna Coluna Feitosa Costa

O pacote anticrime é atacado por aqueles que se dão bem com a corrupção, diz Moro

O grupo de trabalho da Câmara dos Deputados Federais que estuda mudanças na legislação penal e processual penal, sob o comando de Margarete Coelho (PP-PI), do Centrão, tem rejeitado as duras medidas propostas por Sergio Moro de combate às facções criminosas.

Com absoluta razão, o Ministro da Justiça e Segurança Pública Nacional disse nesta semana à Folha de S. Paulo, sem citar nomes específicos, que os ataques ao seu pacote anticrime fazem parte de “um jogo político de pessoas que não querem avançar contra a corrupção, porque vivem nesse sistema e se dão bem nele”.

Isso porque os asquerosos trechos das decisões dos parlamentares vão de encontro à vontade da maioria esmagadora da população e enterram as principais iniciativas de combate à criminalidade do projeto anticrime proposto por Moro.

Para se ter uma ideia do retrocesso, entre outras questionáveis alterações produzidas pelo Centrão (grupo fisiológico e interpartidário), presos ligados às facções nas penitenciárias não terão as penas aumentadas, como previa a proposta inicial.

O grupo liderado por Margarete Coelho derrubou também a possibilidade de gravar conversas de advogados com clientes em presídios federais, por autorização da Justiça.

O centrão da deputada piauiense retirou ainda do relatório final a previsão de prisão em regime inicial fechado para quem comete crime de corrupção ativa ou passiva, roubo e peculato.

Apoiado pela maioria da população brasileira, que quer ver os corruptos e chefes de facções na cadeia, Moro deixou claro que “crime e corrupção prejudicam a economia e não o contrário (como os amigos de sempre da corrupção afirmam)” e que “o Brasil avançou muito no combate à corrupção nos últimos cinco anos e, neste ano, no combate ao crime organizado”.

EXCLUSIVAS

Inacreditável

Como já foi dito nesta coluna, tiraram do pacote, também, com veemente trabalho de Margarete, o excludente de ilicitude que visava ampliar as situações que poderiam ser qualificadas como legítima defesa na ação policial contra a criminalidade, especialmente em casos em que os agentes estivessem sob “escusável medo, surpresa ou violenta emoção”.

Na prática, a exclusão desse item intimida a ação policial contra traficantes ou qualquer outro membro do crime organizado durante confrontos. 


Levantando a autoestima do povo

Dados do Sinesp e do Ministério da Justiça mostram redução significativa do número de crimes do primeiro semestre de 2019 em relação ao mesmo período do ano passado.

É o resultado positivo do trabalho de Moro, que pode ser melhorado com o pacote anticrime.

Para cego ver


Os números mostram menos 5423 assassinatos. Roubos a bancos caíram 40%. Roubos a veículos, 27%.

Só os chefes de facções são contra esses avanços.

Moro trabalhador 


“Trabalho duro, inteligência e ação integrada das forças federais, estaduais e distritais têm levado a esse resultado. Se aprovado o pacote anticrime no Congresso, o número de crimes cairia mais. Muito a fazer ainda", disse o Ministro nas redes sociais. 


Calote 1

O presidente da câmara de Teresina reclama que o prefeito Firmino não tem repassado as emendas parlamentares impositivas para realização de obras de calçamento e asfalto nos bairros. 

Calote 2

Jeová Alencar diz que os vereadores prometem liberar verbas para os bairros, indicam investimentos, mas Firmino não solta o dinheiro.

Constrangimento

Firmino não cumpre a aplicação do dinheiro e os vereadores é quem sofrem com as cobranças na cidade. 

O povo "joga na cara", mesmo.

Só da panela

Ouve-se nos bastidores da câmara de Teresina que Firmino só prioriza os "seus" e ainda faz festa nas redes sociais.

Agora vai

Firmino pode desengavetar os recursos a partir de agora. 

É que o governador Wellington Dias entrou em campo de olho em 2020.

O PT é PT

E não é que os membros do Partido dos Trabalhadores na capital resolveram se unir de vez.

Já programaram até um grande evento para discutir, amigavelmente, estratégias para as eleições do próximo ano. 

Não param

Temístocles Filho e Dr. Pessoa percorrem os bairros de Teresina todo final de semana.

A cada reunião com moradores, a certeza de que o MDB terá mesmo forte candidato em 2020. 


Dê sua opinião: