Sábado, 26 de setembro de 2020   -     08:20 |

Coluna Coluna Feitosa Costa

Moro supera ataques de adversários e se transforma na maior personalidade do Brasil, diz pesquisa

Sergio Moro segue com popularidade inabalável. Conforme pesquisa do Instituto Datafolha, divulgada nesta semana, a avaliação positiva do ministro da justiça e segurança pública cresce a cada dia no cenário nacional. 

A pesquisa aponta que 53% dos brasileiros consideram seu trabalho no ministério ótimo ou bom. Outros 23% o consideram regular. 

Só 21%, correspondente à ala petista mais apaixonada, responderam que ele é ruim ou péssimo. Ou seja, Moro continua com uma fonte inesgotável de prestígio. 

Desde que deixou o comando da Lava Jato para integrar ao governo do presidente Jair Bolsonaro, a fim de potencializar o combate às facções criminosas, Moro tem liderado operações de apreensões de toneladas de drogas, isolamento de criminosos de alta periculosidade em presídios federais, fortalecimento das polícias nacionais, integração com as polícias estaduais e compra de armamento e tecnologia de ponta.

Sergio Moro na defesa do pacote anticrime - Imagem: Reprodução/Folha

O ministro se dedica ainda às pautas de interesse da população na câmara dos deputados e senado federal. Ele mesmo se encarrega de reunir-se com os parlamentares para defender a aprovação de projetos e medidas que possam colaborar para a diminuição dos crimes que aterrorizam o povo brasileiro. 

Reflexo nas ruas

Diversas cidades brasileiras registraram, neste domingo (8), manifestações em defesa da prisão após condenação em segunda instância. As ações foram também de apoio ao pacote anticrime proposto pelo ministro Sergio Moro.

Os manifestantes pediram, principalmente, a aprovação da PLS 166/2018 ainda este ano. O projeto de lei em questão, de autoria de Moro, tem como objetivo alterar o Código Penal e disciplinar a prisão após segunda instância.

EXCLUSIVAS

Primo dá 5,5 para prefeito

Inácio Carvalho, vereador e primo de Firmino, atribuiu apenas 5,5 quando solicitado a dar uma nota para a administração do prefeito de Teresina
.

O Leitoa mais competitivo

As pesquisas de intenção de voto para prefeito de Timon indicam que Rafael Leitoa, deputado estadual e líder do Governo Flávio Dino, é o mais forte nome da família Leitoa para ganhar a eleição em 2020.

Oposição aposta em briga

Em Timon, a oposição, que não é fraca, aposta numa improvável briga entre Luciano Leitoa, prefeito do município, e Rafael.

Sonho da oposição

A oposição espalha que Luciano Leitoa não quer o primo Rafael por que uma eventual Vitória deste o levaria à liderança do tradicional grupo Leitoa.

É só um sonho

Para um veterano político de Timon a oposição sonha com um racha que nunca acontecerá por que Luciano Leitoa "saberá conduzir o processo com inteligência".


No topo

Sergio Moro, nesta segunda-feira, é homenageado na Câmara dos Deputados, onde recebe a medalha patriótica ao ritmo de Michael Jackson, em sessão solene para comemorar o Dia Internacional contra a Corrupção.


Herói do Brasil


Presidindo a sessão, Carla Zambelli classificou Moro de “herói nacional” e acrescentou que “nenhum de nós foi tão perseguido quanto o senhor”, registra O Antagonista.

Milhões no Piauí

O Portal O Dia registra que será liberado a partir da terça-feira (10) em todo o Brasil o pagamento do abono natalino do Programa Bolsa Família. 


Aqui no Piauí, 444 mil famílias deverão receber o benefício. O montante destinado ao Estado é de R$ 94 milhões. 


Bilhões no Brasil


De alcance nacional, a proposta do presidente Bolsonaro injetará na economia do país R$ 2,5 bilhões.

Negócio da China

A prefeitura de Porto Piauí montou um verdeiro buffet para receber um grupo de supostos investidores chineses. 

Ocorre que os "empresários" foram embora, e os garçons e churrasqueiros até agora não receberam pelo trabalho. 

De Volta às origens

O governador Wellington Dias terá que voltar a dialogar com as categorias dos servidores estaduais para tentar aprovar a temida reforma da previdência do Piauí.

É que, mesmo com maioria na Assembleia, o governo não conseguiu tocar a pauta em frente.

O que aconteceu?

Na verdade, nenhum parlamentar vai arriscar a própria cabeça aprovando um projeto que já começa cheio de polêmica, repugnado por classes de diversos setores sociais, inclusive com ações no Tribunal de Justiça.

Ou seja, o governo vai ter que meter a cara de verdade, pois os deputados não vão pagar essa conta sozinhos.

Dê sua opinião: