Quinta, 23 de janeiro de 2020   -     15:10 |
5000onon

Coluna Coluna Feitosa Costa

Bancada evangélica abomina projeto de "legalizar cassinos" de Ciro Nogueira

Ciro Nogueira, presidente do PP, não desistiu de legalizar os jogos de azar e de reabrir os cassinos no Brasil. Desde 2014, o piauiense tenta a aprovação do projeto que pode autorizar a exploração de bingos, jogo do bicho, videojogo e outras modalidades de apostas.

Nos bastidores, mesmo com a rejeição da pauta ano passado na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), há quem diga que Ciro tenta novamente convencer parlamentares de diversos segmentos sociais de que o “objetivo do projeto é garantir mais dinheiro aos cofres públicos, além de gerar milhares de empregos” num mercado que movimenta cerca de R$ 20 bilhões por ano. 

Para ter novamente o projeto pautado, desta vez no plenário da casa, o senador argumenta que existe uma "cortina de fumaça", como se o jogo já não fosse uma realidade no Brasil e que por isso existe a   necessidade de “legalizar para fiscalizar”, abrindo as portas para o turismo mundial. 

Ciro buscou recentemente o apoio do governo em reunião com o ministro da economia, Paulo Guedes. No entanto, o senador tem pela frente a bancada evangélica, com força tanto na câmara quanto no senado, pronta para derrubar qualquer tentativa de aprovação de projetos que possam facilitar a atividade no país. 

Para se ter uma ideia, a coalizão evangélica tem 22% da Câmara: 112 expoentes (número que varia de acordo com suplentes que entram e saem quando deputados se ausentam e voltam). O grupo já declarou que o indicativo não “passa”.  

Parlamentares dessa frente, unidos com influentes pastores de congregações religiosas, como Silas Malafaia e Marco Feliciano, afirmam que o projeto de legalização de jogos de azar de autoria de Ciro Nogueira atende a interesses dos contraventores interessados na “legalização” da lavagem de dinheiro. 

A bancada verbaliza que, ao contrário do que é proposto no projeto, a aprovação irá liberar a exploração dos jogos de azar sem que nenhuma autoridade governamental controle essa atividade, fomentando assim práticas criminosas. Esse mesmo grupo, nos bastidores, já mandou recado ao presidente Jair Bolsonaro, para ficar atento sobre qualquer tipo de manobra que possa acontecer nesse sentido.

EXCLUSIVAS

Espertos, né

Advogados querem contratos milionários com prefeituras e governos estaduais sem nenhum tipo de controle licitatório. Dispensa também a administração pública de licitar a contratação de contadores.


É o que revela o Projeto de Lei. 4.489/2019 aprovado na calada da noite no Congresso Nacional.


Abram o olho


Coincidentemente, diz O Antagonista, "são os mesmos profissionais beneficiados pela lei que alterou o Código Eleitoral, permitindo que os partidos façam uso ilimitado do Fundo Partidário para esses serviços".

Cavalo de troia

Deputados e senadores deram um jeito de aprovar no pacote anticrime um dispositivo que triplica a pena para calúnia, injúria e difamação nas redes sociais.


Na verdade, querem incriminar e calar qualquer cidadão que usa as redes sociais para denunciar os males praticados pelos saqueadores dos cofres públicos.


Tem que vetar, talkey"

O sinal positivo nessa história toda é que o presidente Jair Bolsonaro já sinalizou que pretende vetar esse e outros dispositivos que visam tão somente amordaçar o cidadão brasileiro.


Perguntar, não ofende


Quem vai comandar mesmo o PDT no Piauí?


Sabe-se que os deputados Flávio Nogueira (federal) e Flávio Nogueira Júnior (estadual) estão de malas prontas rumo ao PP. 


Marco histórico


Bolsonaro vai inaugurar no próximo dia 20 a primeira etapa de alargamento e recuperação asfáltica da BR-135, considerada agora a rodovia da soja no Piauí. 


Bem, isso no primeiro ano de governo. Há que dizia que o nordeste seria ignorado pelo presidente.


E tem mais


A primeira Superintendência da Caixa Econômica do Piauí, fora de Teresina, será inaugurada no mesmo dia, em Bom Jesus. 


Aprovação recorde


A Operação Lava Lajo, o simbolo máximo do combate à corrupção na América Latina, tem aprovação de mais de 81% da população brasileira, conforme pesquisa do Instituto Datafolha, contrariando àqueles que teimam em viver de corrupção nas instituições públicas.


Sergio Moro, como sempre, é lembrado como o grande herói nacional, maior nome que esteve à frente das operações de impacto político e social.


Escárnio


O Congresso promulgou ontem a PEC que permite a transferência direta do dinheiro de emendas parlamentes para estados e municípios, sem necessidade de convênios ou projetos.


A PEC 48/2019, agora Emenda Constitucional 105/2019, é de autoria da então senadora e hoje deputada Gleisi Hoffmann. A emenda é um tremendo presente de Natal para prefeitos às vésperas das eleições de 2020.


Dê sua opinião: