Quinta, 17 de outubro de 2019   -     14:39 |
5000onon

Coluna Coluna Feitosa Costa

Atuação do centrão contra o pacote anticrime favorece facções criminosas

A manobra de deputados do centrão (grupo fisiológico e interpartidário) para desfigurar o pacote anticrime de Sergio Moro tem feito à festa das facções criminosas. São forças políticas que não se cansam de voltar sua artilharia contra o ministro da justiça e segurança pública.

E quem está à frente do grupo de trabalho que analisa o projeto original de Moro é a piauiense Margarete Coelho (PP), deputada federal do centrão, que fez questão de convidar para audiências especialistas contrários ou críticos às propostas.

Foi Margarete que deu a ideia de votar o pacote fracionado, atrasando mais ainda sua tramitação, dando abertura para a oposição retirar de pauta pontos que visavam criar mecanismos para proteger o cidadão brasileiro e asfixiar a corrupção sistêmica. 

Às pessoas que cometeram crimes têm que ser punidas, mas é preciso fazer reformas mais amplas que eliminem incentivos e oportunidades para a corrupção. É isso que Moro defende no projeto.

No entanto, Margarete fica contra iniciativas do governo que são de interesses da população acuada pelos marginais, mas aceita receber cargos e nomear apadrinhados como foi o caso do relativamente conhecido advogado San Martin Linhares, irmão do prefeito de José de Freitas, Roger Linhares, que votou nela para deputada federal.

EXCLUSIVAS

Tirando tudo

Tiraram do pacote, com veemente trabalho de Margarete, o excludente de ilicitude que visava ampliar as situações que poderiam ser qualificadas como legítima defesa na ação policial contra a criminalidade, especialmente em casos em que os agentes estivessem sob “escusável medo, surpresa ou violenta emoção”.

Na prática, a exclusão desse item intimida a ação policial contra traficantes ou qualquer outro membro do crime organizado durante confrontos. 

Retrocesso

Retiraram a prisão em segunda instância. Um duro golpe no sistema judiciário do Brasil. 

Inacreditável

Orlando Silva (PC do B) e Marcelo Freixo (PSOL) festejaram a decisão do TCU que confirmou a suspensão imediata da campanha do pacote anticrime.

Pura verdade

O senador major Olimpo disse os deputadores do centrão acolheram a pretensão de quem quer fazer oposição pela oposição ao governo.

E cravou

"A quem interessa não aprovar o pacote anticrime? Para mim, só interessa aos criminosos.”

Maninho ameaça

Adversário conhecido do ex-prefeito de Barras, pedindo omissão de seu nome, fez o seguinte comentário ontem pela manhã ao encontrar com este repórter:

- O Maninho Rêgo está ameaçando ser candidato a prefeito de Barras.

"Quer acabar com o resto"

Sempre pedindo omissão de seu nome, o adversário de Maninho Rêgo comentou ainda que o ex-prefeito quer acabar com o que restou de Barras.

"Pelo menos é honesto"

Segundo esse adversário de Maninho Rêgo, Barras hoje não está lá essas coisas "mas pelo menos tem um prefeito honesto".

Cutucou

"Se tem uma Secretaria que se trabalha com lisura e respeito ao dinheiro público é a de Educação. Na Educação de Teresina, a Polícia Federal nunca foi. Não como no governo de certos vereadores que fala aqui dentro. No Palácio da Cidade a Polícia Federal nunca foi como foi no Palácio de Karnak de certos vereadores. Temos que saber com quem falamos", disse Kleber Montezuma. 

Poderoso

Kleber Montezuma é secretária de educação de Teresina Piauí. É pré-candidato a prefeito da capital. 


Dê sua opinião: