Domingo, 17 de outubro de 2021   -     12:12 |

Sul-Americana começa nesta terça com quatro jogos; brasileiros entram só na fase de grupos

A 20ª edição da Copa Sul-Americana tem o pontapé inicial nesta terça-feira, com quatro jogos pela fase preliminar, em sistema mata-mata. Os times brasileiros são Athletico, Bahia, Bragantino, Ceará, Corinthians e Atlético-GO - todos entram na fase de grupos, prevista para a semana de 20 de abril.

Os confrontos nesta fase inicial envolvem quatro times de oito países (32 clubes ao todo) se enfrentando entre as mesmas nacionalidades.

Assim como as brasileiras, as seis equipes argentinas (Arsenal de Sarandí, Independiente, Lanús, Newell's Old Boys, Rosário Central e Talleres) também entram direto na fase de grupos.

A Conmebol só aguarda para saber quais serão os clubes uruguaios, que ainda disputam a competição nacional de 2020. A definição acontecerá até o fim do mês. Os confrontos entre os times do Uruguai pela Sul-Americana estão marcados para 6 e 7 de abril.

A Sul-Americana 2021 terá um novo formato, dividido em três grandes fases, assim como a Libertadores: a fase preliminar eliminatória, que definirá os últimos classificados, a fase de grupos e a fase final, que vai das oitavas até a grande decisão. A competição foi expandida de 54 para 56 equipes para esta temporada.

A fase de grupos, dessa forma, terá os 16 times que avançarem da preliminar (dois de cada país), além de seis representantes do Brasil e seis da Argentina, que terão vagas diretas. Os outros quatro times serão os eliminados da última fase preliminar da Libertadores (pré-Libertadores).

Os oito times que terminarem em terceiro lugar na fase de grupos da Libertadores entrarão direto nas oitavas de final da Sul-Americana, ficando com metade das vagas. As outras oito vagas serão dos primeiros colocados de cada grupo da Sul-Americana.

A principal razão para a mudança é financeira. No formato atual, clubes tradicionais correm o risco da eliminação após a disputa de apenas dois jogos. Com uma fase de grupos, teriam uma quantidade mínima de partidas. Portanto, os clubes e a entidade sul-americana poderiam faturar mais com direitos de transmissão.
Fonte: Globoesporte

Dê sua opinião: