Sexta, 19 de julho de 2019   -     04:56 |
5000onon

Paulistão: Estreia do VAR teve polêmica, gol anulado e pênalti marcado

 Foto: Fernando Torres / CBF

A primeira rodada da história do Campeonato Paulista em que o VAR foi utilizado teve de tudo um pouco. A nova tecnologia, que permite aos árbitros consultarem o vídeo quando tiverem dúvida sobre algum lance, não acabou com a polêmica, mas serviu para evitar alguns erros nos duelos de ida das quartas de final, como a não marcação de um pênalti no jogo do Palmeiras e a validação de um gol impedido do Santos. As partidas de Corinthians e São Paulo também tiveram o auxílio tecnológico. 

Foram pelo menos seis vezes em que a arbitragem consultou o VAR. Em duas delas, o árbitro de campo chegou a ver em um monitor a imagem da jogada. Em outras, os responsáveis pela observação dos vídeos avisaram o que deveria ser marcado. 

Lembre como foi o desempenho do VAR nos quatro jogos das quartas de final: 

Novorizontino x Palmeiras 

Em nenhum dos outros três jogos, o VAR foi tão assunto quanto na partida entre Novorizontino e Palmeiras. Os palmeirenses ficaram revoltados com o fato do vídeo não ser utilizado na jogada que acabou em gol do time de Novo Horizonte. A equipe alega que Murilo Henrique teria dominado a bola com o braço antes de chutar, Fernando Prass rebater e Cléo Silva abrir o placar.

A discussão foi parar nas redes sociais, com Federação Paulista de Futebol (FPF) e Palmeiras trocando ironias e provocações. O presidente da Comissão de Arbitragem da FPF, Ednilson Corona, concedeu entrevista coletiva para comentar a atuação do árbitro Raphael Claus.

Na mesma partida, a arbitragem precisou do vídeo para ver o palmeirense Antônio Carlos cortando um cruzamento com o braço. Raphael Claus chegou a consultar a tela com imagens do lance e marcou, com convicção, o pênalti, que foi defendido por Fernando Prass. 

Santos x Red Bull Brasil 

O Santos derrotou o Red Bull por 2 a 0, mas antes de garantir a vitória, o time de Jorge Sampaoli teve um gol anulado com o auxílio do VAR. A jogada aconteceu aos cinco minutos do primeiro tempo, quando Rodrygo deu assistência para Diego Pituca abrir o placar. Enquanto o volante comemorava, o árbitro Douglas Marques das Flores recebia o aviso de seus auxiliares de que o lance foi irregular. Assim, ele invalidou a jogada. 

São Paulo x Ituano 

Aos dez minutos do segundo tempo, o atacante Everton Felipe, do São Paulo, disputou uma bola dentro da área com Jonas, do Ituano, e caiu no gramado. O árbitro José Claudio Rocha Filho ouviu de seus companheiros que estavam assistindo a partida pelo vídeo de que não houve nada no lance e, por isso, manda a partida seguir. 

Ferroviária x Corinthians 

 Aos três minutos do segundo tempo, os jogadores do Corinthians reclamaram que o zagueiro Rodrigão teria desviado um chute de Pedrinho com a mão. Os árbitros de vídeo viram a imagem em que claramente a bola bate no lado direito do peito do jogador. Depois, aos 42, Gustavo marcou o gol de empate do Corinthians, após cruzamento de Clayson e a arbitragem demorou alguns minutos para reiniciar a partida, justamente para checar se o atacante estava em posição legal.

* Com informações do Estadão Conteúdo.

Dê sua opinião: