Quinta, 17 de outubro de 2019   -     14:51 |
5000onon

Felipe Neto registra queixa por ameaças de morte que diz ter sofrido

 Foto: Reprodução/Instagram

O youtuber Felipe Neto registrou nesta quinta-feira (19) uma queixa por ameaças de morte que ele diz ter recebido nos últimos dias.

"Protocolamos hoje a notícia-crime na Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática referente a ameaças de morte que foram recebidas. Fica a prova para aqueles que duvidaram, mentiram e debocharam, alegando que seria tudo uma invenção", escreveu ele no Twitter, com a foto de um protocolo (veja abaixo).

Segundo a assessoria de imprensa de Felipe Neto, a equipe jurídica foi até a delegacia, que fica na Cidade da Polícia, para registrar a queixa.

Entenda as ameaças a Felipe Neto

  • No dia 5 de setembro, o prefeito do Rio Marcelo Crivella pediu para que todos os exemplares de um livro com uma gravura em que dois personagens homens se beijam fossem retirados da Bienal do Livro.
  • No dia seguinte, dia 6 de setembro, o youtuber anunciou que havia comprado 14 mil exemplares de livros com temática LGBT para distribuir gratuitamente na feira. Todos os livros foram ensacados com uma etiqueta em que se lia "Este livro é impróprio para pessoas atrasadas, retrógradas e preconceituosas. Felipe Neto agradece a sua luta pelo amor, pela inclusão e pela diversidade".
  • No dia 7 de setembro, os 14 mil exemplares foram distribuídos ao público da Bienal.
  • Alguns dias depois, notícias falsas foram disseminadas em redes sociais, dizendo que Felipe Neto incentivou crianças a acessarem fóruns que promovem pedofilia
  • No dia 16 de setembro, o youtuber contou no Twitter que as ameaças contra ele se intensificaram depois da ação da Bienal e que ele havia retirado a sua mãe do país por medo.
  • Nesta quinta-feira (19), novamente usando o Twitter, Felipe Neto informou que protocolou uma a notícia-crime na Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática, referente às ameaças de morte que vem recebendo.

Neto diz que as ameaças a ele e a parentes foram feitas após ele ter distribuído gratuitamente 14 mil livros de temática LGBT na Bienal do Livro. O youtuber disse que já retirou a mãe do país por questões de segurança e, na segunda-feira (16), cancelou a apresentação no evento Educação 360 alegando ter sofrido ameaças.

"É estarrecedor que no Brasil, em 2019, um indivíduo seja impossibilitado de se manifestar e lutar contra qualquer tipo de censura e opressão sem ser ameaçado (...) Quero dizer que continuarei lutando, enfrentando o obscurantismo e a opressão, por todos os meios que me cabem, pela defesa do amor e da união até o fim, até onde for possível e até onde minhas forças e meu coração aguentarem", escreveu em um comunicado.  

* Com informações do G1

Dê sua opinião: