Quinta, 25 de fevereiro de 2021   -     16:33 |

Vereador anda de ônibus em Teresina, testa sistema e denuncia descaso com a população

Um caso inusitado chamou atenção na Câmara Municipal de Teresina na sessão plenária de ontem (10). O vereador Ismael Silva (PSD), tentou ir para a sessão de ônibus e devido a greve dos rodoviários o parlamentar só conseguiu chegar à casa em um transporte alternativo.

A crise do transporte na capital causou muita polêmica na sessão desta quarta, uma audiência pública foi aprovada para discutir a melhor saída para o sistema. Um grupo defende a municipalização como alternativa, já uma outra ala quer que uma nova licitação seja realizada.

Em entrevista, Ismael contou a “saga” para sair de sua casa, na Santa Maria da Codipi, Zona Norte de Teresina, até chegar a Câmara, cerca de 15 km distante. O vereador lamentou o drama sofrido pelos trabalhadores da capital.

“Na cidade sempre tivemos problemas no transporte público, sempre foi irregular e a tarifa não condiz com a qualidade do serviço. Hoje, a experiência que eu tive vindo de ônibus para a Câmara, foi a realidade que vivi até 2019 como usuário do transporte público. Para a minha surpresa, constatei que a decisão judicial, que determinou o retorno de 70% da frota, não foi cumprida. Só consegui uma van do transporte alternativo para vir para a Câmara, passei por vários pontos de ônibus e vi trabalhadores esperando a condução para o trabalho, uma situação lamentável”, revelou o vereador.

Já Edson Melo (PSDB) defendeu uma maior discussão com os empresários, que não são os únicos culpados segundo ele.

“O sistema estava em fase de implantação, veio a pandemia e a crise agravou, principalmente por falta de passageiro. Não é só problema técnico, é problema econômico. Tem que haver uma discussão para resolver a situação. Hoje em dia os próprios empresários de ônibus querem sair do sistema, dois já saíram. Não adianta a Prefeitura forçar a barra para funcionar se não existe uma solução imediata. A municipalização não é solução, a tendência é a privatização e a discussão com os empresários”, finalizou o vereador.

Dê sua opinião: