Quinta, 25 de fevereiro de 2021   -     16:55 |

Mãe procura por filhas que não vê há mais de 40 anos em Oeiras

A aposentada Iolanda Pereira da Silva busca realizar um encontro aguardado a mais de quatro décadas. A senhora de 66 anos, tenta encontrar as duas filhas que ela viu pela última vez há 43 anos atrás na cidade de Oeiras.

Para isso, ela contatou com a redação do portal folhadeoeiras no intuito de que o veículo de comunicação possa favorecer o possível encontro. Dona Iolanda é natural de Oeiras, mas sua família vivia na localidade, Puçás, zona rural de Colônia do Piauí, sendo filha de Alvino Pereira da Silva e Dona Ana Gonçalves de Moura, ambos já falecidos.

A senhora conta que teve duas filhas com o seu companheiro, à época, o senhor Domingos Alves de Carvalho. Com os avós paternos das crianças, identificados como, Maria Alves de Carvalho e o senhor Gervásio, ela deixou sua primeira filha, que se chama, Elisangela Pereira de Carvalho, que na ocasião, tinha entre dois e três anos de idade.

A segunda filha, foi entregue a uma vizinha conhecida da família identificada apenas como, Emília. Esta criança tinha apenas meses e o nome da mesma foi dado pela mãe adotiva. De acordo com a aposentada, tanto a mãe adotiva, como os avós paternos das meninas moravam no bairro Oeiras Nova, próximo à caixa d’água do morro do Leme.

Dona Iolanda relata não ter doado as crianças por simples querer, mas as circunstâncias a obrigaram.

“No início, eu não quis dar as crianças, depois resolvi fazer. Era 1982, eu tinha apenas 23 anos, e precisava trabalhar. Para tentar conseguir sustento, tive que me virar sozinha, tendo que ir embora de Oeiras. Desde então, passei a morar em Teresina, trabalhando como doméstica. Parei com essa atividade quando completei 65 anos e conseguir me aposentar, após ter trabalhado por 24 anos seguidos na casa dos meus últimos patrões. Durante estes 43 anos, eu nunca esqueci delas. Estive em Oeiras por duas vezes na tentativa de notícias das minhas filhas. Procurei pessoas da época, andei por Oeiras Nova, bairro onde as crianças ficaram, mas não obtive nenhuma informação”, disse.

Aos 66 anos e após fazer uma cirurgia para implante de um marcapasso, para correção de um doença cardíaca, ela deseja imensamente reencontrar as filhas. Extremamente emocionada, dona Iolanda conta que hoje seu maior desejo é encontrar as filhas e saber como elas estão.

"Eu sempre peço a Deus para que não me leve antes de reencontrar as minha filhas.  É o que mais desejo em minha vida", relata dona Iolanda.

Quem tiver informações sobre o paradeiro das filhas de dona Iolanda Pereira da Silva, entrar em contato pelos telefones: (86) 9 9426-0858 e ou (86) 9 8888-1070.

*Com informações do Blog do Cordeiro

Dê sua opinião: