5000onon

Governo Federal pretende investir R$ 111 milhões na duplicação de duas rodovias do Piauí

A direção-geral do Dnit, em Brasília, está perdendo a paciência com a demora na conclusão dos serviços de duplicação dos acessos a Teresina pelas BRs 343 e 316, informou hoje (10) em sua coluna, no Portal Cidade Verde, o competente jornalista Zózimo Tavares.

Como se trata de estradas federais, a obra foi repassada ao DER em 2012, a pedido do Governo do Estado, com um orçamento de R$ 110 milhões, recursos do próprio Estado, tomados de empréstimo.
Sete anos depois, apenas 35% do cronograma foram executados. E muito do que foi feito já se deteriorou, especialmente por falta de obras de drenagem.


São necessários mais R$ 111 milhões para a conclusão da obra, que consiste em 9 quilômetros na direção de Altos (Norte) e mais 8,4 quilômetros na direção de Demerval Lobão (Sul).

Além do atraso injustificável na conclusão das obras, diz Zózimo Tavares, um dos trechos, situado na BR 316, está em situação precária, a partir de seu início, na rotatória da Casa de Custódia, zona Sul de Teresina.

"Por conta disso, os moradores residentes na região fizeram um protesto no último dia 31 para denunciar o estado deplorável da rodovia e cobrar serviços urgentes para a sua manutenção. Os manifestantes chegaram a plantar bananeiras e touceiras de capim nos buracos da estrada", lembra o jornalista.

Depois da manifestação, o DER iniciou uma operação 'tapa-buraco' no trecho.

Obra parada e sem contrato


O protesto repercutiu em Brasília. O diretor-geral do Dnit, general Sousa Filho, solicitou imediatamente informações da Superintendência Regional do órgão sobre a situação.

Depois de inteirado dos fatos, a direção geral do Dnit avalia agora se vai continuar com o convênio assinado com o Governo do Estado, e já prorrogado, ou se vai encerrá-lo imediatamente, a fim de retomar a obra.

O superintendente regional do Dnit, Ribamar Bastos, informou ontem à Rádio Cidade Verde que o órgão vem cobrando insistentemente o cumprimento do contrato e a manutenção das rodovias em boas condições de tráfego, nos trechos delegados ao DER.

A situação ficou mais crítica agora. Na BR-316, a Construtora Sucesso rompeu o contrato com o Governo do Estado na semana passada, por falta de pagamento.

Na BR 343, a Construtora Copa, a terceira que foi contratada, abandonou os serviços no final do ano passado, também por falta de pagamento.

As construtoras que estavam na classificação seguinte na licitação desse trecho, a Sucesso e a Jurema, não quiseram receber a obra.

Então, no momento, os dois trechos da duplicação dos acessos a Teresina estão com as obras paralisadas e sem contrato. Ou seja, sem a menor perspectiva de conclusão.

Insuportável


Na hipótese de o Dnit assumir a obra, o órgão fará uma operação de emergência para recuperar o trecho mais danificado da BR 316, com recursos extraordinários de seu orçamento, e lançará edital para concluir a duplicação no próximo ano.

Ribamar Bastos garantiu que o Dnit vai procurar uma solução, “pois, como está, não dá para continuar, já que não há previsão para conclusão da obra.”

Ele disse que apenas no trecho da BR-316 que está em obras, em Teresina, passam 20 mil carros por dia.

Nova duplicação

O superintendente do Dnit anunciou que ainda neste semestre sairá o edital para duplicação da BR-316 até o município de Demerval Lobão, partindo logo depois do posto da Polícia Rodoviária Federal.


O Dnit já tem uma verba de R$ 30 milhões assegurada em seu orçamento para execução dos serviços, orçados em um custo total de R$ 70 milhões.

*Com informações oficiais da coluna de Zózimo Tavares
*Imagens: Reprodução

Dê sua opinião: