5000onon

CPRM diz que nível do rio Parnaíba deve continuar subindo em Luzilândia

 Rio Parnaíba invadiu parte da zona urbana de Luzilândia, no Norte do Piauí — Foto: Divulgação

Quatorze famílias tiveram de deixar suas casas na cidade de Luzilândia, desde que o Rio Parnaíba ultrapassou sua cota de inundação. De acordo com o Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM), a previsão é de que o nível do rio na cidade continue a subir até a próxima quarta-feira (10). Diversas casas da casas na zona urbana foram atingidas, parte da população da zona rural do município ficou ilhada.

De acordo com o engenheiro hídrico Roberto Fernandes, do CPRM, a tendência é que o rio Parnaíba continue subindo por conta do volume de água que está correndo em direção ao litoral. "A água que atingiu um nível alto aqui deve estar chegando por lá até quarta-feira. Ainda estamos estudando a que ponto pode chegar a altura do rio por lá", disse.

Segundo o major do Corpo de Bombeiros, Sérgio Melo, o rio subiu 25 cm de meia-noite de domingo (7) para as 5h da manhã desta segunda-feira (8). A medida foi feita na estação de coleta de dados da fluviometria do Parnaíba.

Rio Parnaíba invadiu parte da zona urbana de Luzilândia, no Norte do Piauí — Foto: Divulgação

Rio Parnaíba invadiu parte da zona urbana de Luzilândia, no Norte do Piauí — Foto: Divulgação

“Na madrugada de ontem (7) passamos o plantão vindo de hora em hora fazer a medição in loco, a visita aqui no bairro. Agora pela manhã com o rio a 6,5 cm acima do nível normal já estamos com quatro mudanças preparadas para esse momento”, disse.

Entre as 14 famílias que tiveram de sair casa, três foram resgatadas na zona rural. As localidades Ilha do Capeta, Uriega e Jiquiri ficaram isoladas pela água do rio Parnaíba. De acordo com a Defesa Civil, as famílias que moram nas localidades não aceitam ser retiradas.

Em entrevista à TV Clube um morador da zona rural chamado Juscelino disse que a situação, apesar de complicada, é corriqueira. “Nós somos acostumados com isso já, e a gente espera que o rio baixe. A gente fica naquela expectativa e por isso não saímos", disse. 

* Com informações do G1 PI 


Dê sua opinião: