Terça, 19 de janeiro de 2021   -     15:48 |

Coluna Coluna Feitosa Costa

Subtenente da Polícia Militar do Maranhão é morto após discussão com agentes da Polícia Rodoviária Federal

Subtenente Baltazar de Carvalho PM- MA

O subtenente da Polícia Militar do Maranhão Baltazar de Carvalho Araújo foi morto com dois tiros após discutir com agentes da Polícia Rodoviária Federal do Maranhão, depois de uma abordagem.

De acordo com a PRF-MA o militar tentou desobedecer os policiais sacando uma arma.  

Leia a versão em nota divulgada pela assessoria de imprensa da Polícia Rodoviária Federal - MA

"O incidente ocorreu na região dos cocais, leste maranhense. O condutor foi socorrido por uma ambulância do SAMU, mas acabou não resistindo e falecendo em um hospital.

Por volta das 20h40min do último domingo, 02 de agosto, no km 571 da BR-316, na localidade Descanso, entrada para a cidade de Coelho Neto/MA, uma equipe Polícia Rodoviária Federal realizava rondas, quando perceberam um acidente, colisão traseira, envolvendo um caminhão MB/l1620 e uma caminhonete Toyota/ Hilux, cujo condutor apresentava sinais evidentes de embriaguez alcoólica. Muito alterado, ele se apresentou como policial militar, mas se negava a mostrar a identificação e portava uma pistola na cintura. 

Ainda segundo a nota durante vinte e cinco minutos os policiais tentaram acalma-lo e convence-lo a entregar os documentos e a arma. Apesar das diversas tentativas da equipe PRF para que a arma fosse entregue, o condutor continuava desobedecendo. Logo depois, o condutor afirmou que, se sacasse a arma, atiraria contra os policiais. Em seguida, o condutor, de fato sacou arma e apontou para os policiais, sendo alvejado com dois disparos para contê-lo.

De imediato os  agentes da PRF providenciaram uma equipe de socorro do SAMU, que compareceu ao local e removeu o ferido para o hospital geral de Caxias/MA, onde veio a óbito.

A Delegacia PRF em Caxias acompanhou todo o processo. Sendo o caso levado para a delegacia de Polícia Federal naquele município.

Internamente, uma Comissão de Controle e Acompanhamento da Letalidade está acompanhando o caso a fim de apurar se todos os procedimentos foram cumpridos por parte da equipe operacional".

O portal cartapiaui está aberto para a versão da família do policial militar. 

Dê sua opinião: