Quinta, 09 de dezembro de 2021   -     03:37 |

Coluna Coluna Feitosa Costa

Assaltos, latrocínios e homicídios assustam os teresinenses

A realidade para os teresinenses tem sido dura em relação à violência. Muitas pessoas estão procurando o portal cartapiaui para denunciarem furtos, roubos e sequestros - relâmpago na capital.

Em praticamente todos os bairros da capital os moradores não podem mais sentarem à porta das residências, se reunirem com amigos e vizinhos porque às casas são invadidas e arromabadas na noite.

As pessoas alegam que não existem mais "horários" considerados de risco. Os criminosos parecem está em toda a parte e não temer a Lei.

Nas paradas de ônibus a situação também não muda. Estudantes e trabalhadores são vítimas de assaltantes. Motoristas e cobradores de ônibus, tambem!

No Centro de Teresina os comerciantes se queixam da insegurança. Lojas são arrombadas durante a madrugada. Clientes são vítimas de golpistas, lanceiros.

As facções criminosas são uma realidade em Teresina e um plano de segurança se torna inevitável.

A violência e a criminalidade desenfreada chegaram também nas cidades do interior do Estado do Piauí onde assassinatos e roubos são evidentes.

Na capital também há quadrilhas especializadas em roubos de veículos, supermercados são alvo de bandidos, terminais eletrônicos são violados, além das agências bancárias.

Mesmo com bastante dificuldade as Polícias Militar e Civil tem ajudado à população com serviços ostensivas e de investigação, mas a sensação é a de que a justiça também precisa agir e ser mais célere.

São necessárias ações emergenciais de segurança e o reaparelhamento da polícia. Essas medidas tem que acontecer com estudos elaborados e com o aval da justiça que deve julgar e condenar mais rápido delinquentes que surgem em Teresina e que levam o terror.

Crimes contra a vida tem acontecido em Teresina e em muitos casos os responsáveis são pessoas que já haviam praticado delitos menores, mas que não foram punidas pelo poder judiciário o que de certa forma acaba contribuindo com os suspeitos que vão continuar levando à insegurança e consequentemente à violência urbana.

A população de Teresina pede uma resposta urgente porque são inúmeras as denúncias e reclamações.

Perguntas devem ser feitas e respondidas. Soluções são fundamentais para que este problema não se agrave ainda mais.

O jornalista Felipe Reis entrevistou o experiente delegado Francisco Costa "O Baretta", coordenador do Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa - DHPP que afirmou ao repórter:

Foto/ Internet - Delegado Francisco Costa "O Baretta" - Coordenador do DHPP

"O mesmo indivíduo que furta ou faz pequenos roubos e se envolve no tráfico de drogas é o mesmo que vai cometer os crimes de latrocínio ( roubo tendo como consequência a morte) e o homicídio qualificado.

No crime o indivíduo precisa tirar o bem maior que é a vida para ser considerado perigoso.

É preciso efetivamente que o sistema de justiça criminal brasileiro seja integrado, ou seja, Ministério Público, Poder Judiciário e a polícia. 

É preciso uma atenção maior de todas as instituições para "cortar o mal pela raiz" e evitar crimes graves, disse o delegado". 

Dê sua opinião: