Terça, 28 de setembro de 2021   -     19:43 |

Coluna Coluna Feitosa Costa

Fadinha do Maranhão faz história e conquista medalha para o Brasil nas Olimpíadas de Tóquio

A atleta olímpica mais jovem da história do Brasil, a skatista maranhense Rayssa Leal, de 13 anos, tornou-se também a medalhista mais jovem do país nos jogos. Ela garantiu a medalha de prata na categoria street skate feminino das Olimpíadas de Tóquio, em final realizada nas primeiras horas da madrugada dessa segunda-feira (26), início da tarde no Japão.

Com a pontuação de 14.64, a garota apelidada de “fadinha” garantiu ao país a medalha de prata. O ouro ficou com a japonesa Momiji Nishiya, outra garota de 13 anos, que teve um score de 15.26. O terceiro lugar também ficou no país sede da competição, nas mãos da também japonesa Funa Nakayama, que pontuou 14.49.

Atual vice-líder do ranking mundial, Rayssa, que havia alcançado o terceiro lugar na fase classificatória, não se intimidou diante das adversárias mais experientes e deu show no Ariake Urban Sports Park com manobras espetaculares. O skate está fazendo a sua estreia no programa olímpico. Após a prata, a maranhense chorou muito com o feito gigantesco que acabara de alcançar.

Chamaram atenção a calma e o desempenho de Rayssa, que em alguns momentos foi vista dançando relaxada na pista. Bastante inspirada, ela foi derrubando as rivais ao longo das baterias até conquistar o seu lugar no pódio entre duas japonesas.

MARCA HISTÓRICA 

Rayssa é a atleta mais jovem da história do Brasil subir ao pódio em Olimpíadas. Aos 13 anos e 203 dias, bateu de longe o recorde de Rosângela Santos, bronze em Pequim 2008 com 17 anos no 4x100m do atletismo.

Fadinha é, também, a mais jovem brasileira a participar dos Jogos. A marca anterior era de Talita Rodrigues, nadadora que foi finalista no 4x100m livre em 1948, nos Jogos de Londres. Na ocasião, tinha 13 anos e 347 dias.

Dê sua opinião: