Quinta, 09 de dezembro de 2021   -     03:45 |

Coluna Coluna Feitosa Costa

Assassino da sobrinha-neta de Sarney é condenado a 39 anos de prisão

O empresário Lucas Leite Ribeiro Porto,  que assassinou a publicitária Mariana Menezes de Araújo Costa Pinto, de 33 anos, sobrinha-neta do ex-presidente José Sarney, foi condenado na madrugada de ontem (5) a 39 anos de prisão em regime fechado.

Em júri popular, a condenação foi a 30 anos de prisão por homicídio com quatro qualificadoras, feminicídio, asfixia, impossibilidade de defesa e ocultação de provas e mais 9 anos de prisão por estupro.

O julgamento durou seis dias. O juiz negou ao acusado o direito de recorrer da decisão em liberdade e considerou que o fato de Lucas Porto estar preso há quatro anos não é relevante para diminuir a pena.

O juiz titular da 4ª Vara do Tribunal do Júri, José Ribamar Goulart Heluy Júnior, foi o responsável por presidir o julgamento. O promotor de Justiça, Marco Aurélio Ramos Fonseca, foi o representante do Ministério Público no caso.

Ao todo, 21 testemunhas foram ouvidas, entre as de defesa e acusação. Entre elas, estavam seis assistentes técnicos contratados pela defesa de Lucas Porto.

Duas testemunhas foram dispensadas após um acordo entre a defesa e o Ministério Público do Maranhão (MP-MA). Foram elas: o viúvo de Mariana Costa, Marcos Renato, e o delegado de polícia, Maurício Matos.

Desde 2016, Lucas Porto permanecia preso no Complexo Penitenciário de Pedrinhas, em São Luís, onde aguardava julgamento. Ele permanecerá no mesmo presídio.

A sobrinha-neta de Sarney foi encontrada morta em 2016 no apartamento onde morava, no bairro Turu, em São Luís.


As investigações da Polícia Civil do Maranhão apontaram Lucas Porto, cunhado da vítima, como principal suspeito. Na época, ele confessou a autoria e afirmou que teria matado Mariana por causa de uma atração não correspondida que ele sentia por ela.

Dê sua opinião: