Luciano diz que Temer deu apoio à aprovação da PEC das Assembleias

Resultado de imagem para Luciano Nunes 
 Luciano Nunes (Foto: Reprodução)

O deputado estadual Luciano Nunes (PSDB) afirmou que o presidente Michel Temer (MDB) demonstou apoio para que a Proposta de Emenda à Constituição que amplia as competências das Assembleias seja aprovada no Senado. A PEC 47 dá mais autonomia às Assembleias a todos os Estados para que elas possam elaborar leis.  

“Essa é principal bandeira da UNALE, na qual a União está mais focada. Faz parte de um planejamento de ação, que vale para aprovar e fortalecer os legislativos estaduais. E o presidente Temer manifestou apoio à sua aprovação”, falou Luciano ao Programa Jornal do Piauí nesta terça-feira (6) direto de Brasília. 

Ontem, o deputado, que é presidente da UNALE, o presidente da Assembleia, Themístocles Filho (PMDB), estiveram em uma reunião com Temer. Representantes da União e presidentes de Assembleias de todo país foram pedir apoio do governo federal para aprovação da PEC. 

Ele explicou sobre o que se trata a PEC: “Desde a Constituição de 88, muitas competências foram retiradas dos Estados e transferidas para a União, estão concentradas na Câmara e no Senado. Como o Brasil é muito grande e diverso, com realidades muito diferentes entre as suas regiões, algumas dessas soluções ficam empacadas porque é difícil conciliar tantos interesses, então descentralizando dando mais autonomia paras as Assembleias, essas questões ficam destravadas e elas podem legislar. Além de que as vezes uma solução que é considerada justa por um estado, como o de São Paulo, pode ser extremamente injusta para o estado do Piauí”. 

Sobre sua pré-candidato ao governo do Estado, o parlamentar disse que está otimista , preparado para a candidatura e recebendo muito apoio.

“O meu nome surgiu manifestado através de amigos, lideranças e aliados do meu partido e de outros que fazem oposição no Estado. Fiquei muito honrado com isso, mas há também um interesse do PSDB nacional em lançar candidato majoritário em todos os estados e do Piauí fará a sua parte, nós teremos sim candidato ao governo em 2018. Isso naturalmente que é um processo de construção que estamos conversando com os aliados, com os partidos que estão no campo da oposição e temos esse semestre todo para sentar, dialogar, construir e consolidar essa chapa competitiva ao governo do Estado e ao Senado”.

 

Lyza Freitas
[email protected]
Fonte: Cidadeverde.com 


Dê sua opinião: