Dudu afirma que motoristas e cobradores de ônibus são extorquidos

 Foto: Divulgação

Devido os constantes assaltos nos ônibus de Teresina, motoristas e cobradores do transporte coletivo de Teresina paralisaram suas atividades e participaram de uma reunião nesta terça-feira, 10, na Câmara Municipal, para tratar com os vereadores sobre a insegurança. Na ocasião, o vereador Dudu falou sobre a situação dos trabalhadores e afirmou que os profissionais estão sendo extorquidos.

"Não podemos deixar que essa conta fique na categoria, porque existe o empresário que recebe muito dinheiro e precisa fazer investimento, como o botão do pânico. Não podemos também responsabilizar os profissionais por um prejuízo que não é deles. Alegaram a questão do preço, mas não acredito que seja um preço exorbitante. Onde o botão existe, coíbe e diminui a incidência de violência. O trabalhador não pode pagar por um prejuízo que não é dele e é preciso tomar providência. Na verdade, os trabalhadores estão sendo extorquidos", disse o vereador.

Dudu afirmou que o SETUT precisa dar uma contrapartida para reduzir a violência. "Essa reunião precisa ser registrada em ata para ser enviada ao Ministério do Trabalho e a Procuradoria do Trabalho, porque não podemos ficar apenas em falácias. Discutimos em fevereiro nesta Casa a instalação do botão do pânico, porque isso pode coibir os índices de roubos. Tivemos o conhecimento de que o SETUT recebeu R$ 7 milhões, de setembro de 2016 a fevereiro de 2017, a título de subsídio da passagem de ônibus. Então é obrigação do SETUT dar uma contrapartida para minimizar a violência", disse o parlamentar. 

Dentro da pauta dos motoristas e cobradores de ônibus, foi solicitado a implantação do botão do pânico, fim da cobrança do pagamento de assalto aos cobradores, a criação do comitê de segurança no transporte coletivo, a criação de uma delegacia especializada em roubos de ônibus e o fim das multas de R$ 3.300 aos motoristas.

"A Prefeitura e o SETUT usam um discurso de que tudo está perfeito, mas para o trabalhador a realidade é outra, é de dificuldades. Essa integração é nada mais que uma forma de cobrar uma taxa a mais da população, porque não há melhorias. Como encaminhamentos dessa reunião, proponho outra reunião com todos as categorias na Procuradoria do Trabalho para pegarmos a minuta pauta da Câmara, do SETUT, STRANS e a do Sintetro para tratar de forma técnica, porque só assim chegaremos no entendimento", ressaltou Dudu.

Estiveram presentes da reunião o vereador Dudu(PT), vereador Deolindo Moura (PT), o presidente da Comissão de Direito do Trânsito da OAB-PI, Carlos Terto, representantes do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transporte Rodoviário (SINTETRO), Central Única dos Trabalhadores (CUT-PI), SETUT e STRANS.


 Foto: Divulgação  




Fonte: Assessoria 


Dê sua opinião: