5000onon

Desembargador do TRF1 retira processo de Assis Carvalho de pauta pela quarta vez

Por Rômulo Rocha – Do Blog Bastidores

- Depois de quatro retiradas de pauta, há uma certa dose de bastante expectativa sobre que entendimento o desembargador Ney Bello terá para o caso em seu voto

Deputado federal Assis Carvalho: há mais de ano parlamentar tem o julgamento protelado
 Deputado federal Assis Carvalho: há mais de ano parlamentar tem o julgamento protelado.

O desembargador Ney Bello, do Tribunal Regional Federal da 1º Região, localizado em Brasília, retirou pela quarta vez, isso mesmo, pela quarta vez, da pauta de julgamento da Terceira Turma da respectiva Corte, a apelação do deputado federal Assis Carvalho, do PT, que recorre de uma condenação imposta pela Justiça Federal em primeira instância, no Piauí.

Assis Carvalho é acusado de “fabricar” licitação quando era gestor da Secretaria de Saúde. O petista foi condenado em primeira instância pelo juiz Adonias Ribeiro de Carvalho de Neto à suspensão dos direitos políticos por cinco anos e ao pagamento de multa no valor de R$ 250 mil, sob a suspeita de dispensar licitação por falsa emergência e favorecimento de empresa que concorria nos certames realizados pela pasta da Saúde.

O julgamento no TRF1 iniciou com o voto da relatora, a juíza convocada Rogéria Maria Castro Debelli. Mas a partir daí, quando do proferimento desse voto pela manutenção da condenação do petista, da FUNACE e da então diretora administrativa da secretaria, Jeanne Ribeiro de Sousa, o julgamento não é concluído por sucessivos pedidos de retirada de pauta do desembargador maranhense Ney Bello.

A primeira vez em que o magistrado pediu a retirada de pauta, por ter se atrapalhado com o voto, foi em 27 de novembro de 2017, a segunda vez foi em 20 de fevereiro de 2018.

Já a terceira vez, datada de 24 de julho de 2018, antecedeu a eleição. Agora, neste dia 27 de novembro, mais uma vez o desembargador pediu a retirada de pauta.

Além da relatora, que já deu seu voto, outros dois desembargadores votam, incluindo Ney Bello.

O caso pode levar Assis Carvalho a ficar inelegível.

Há uma certa dose de expectativa sobre qual vai ser o voto do desembargador em questão.  



Fonte: 180 GRAUS

Dê sua opinião: