5000onon

Base governista vai ao TCE-PI apoiar parecer de conselheiro

Deputados da base do governo foram ao TCE-PI 
 Foto: TCE-PI

Um dia depois da "visita" da oposição ao TCE-PI, uma comissão de deputados estaduais que integram a base do governo Wellington Dias esteve com o presidente do Tribunal de Contas do Estado do Piauí, conselheiro Olavo Rebelo, e com Kennedy Barros, relator de uma ação cautelar que pedia o bloqueio da liberação da segunda parcela do empréstimo contraído pelo Estado junto à Caixa Econômica Federal para execução de obras. 

Os deputados foram defender a liberação dos recursos, argumentando que as prestações de contas das obras já foram encaminhadas aos órgãos diretamente relacionados com o convênio e bem como os esclarecimentos sobre as falhas apontadas em relatório preliminar da Diretoria de Fiscalização de Obras e Serviços de Engenharia do TCE-PI. 

Logo depois da audiência de Olavo com os parlamentares governistas, por unanimidade, o Pleno do TCE-PI ratificou a decisão monocrática do conselheiro Kennedy Barros, em despacho assinado na segunda-feira (7) sobre o processo TC 025611/2017 referente ao relatório de auditoria realizada pelos técnicos do TCE-PI na aplicação dos recursos do empréstimo de R$ 307 milhões do Estado junto à Caixa Econômica Federal (Finisa I). 

 Os conselheiros acompanharam o voto do relator, mas defenderam uma maior agilidade na apreciação das prestações de contas do Executivo, o que evitaria questionamentos como os que foram feitos da oposição na Assembleia Legislativa, de que houve desvio na aplicação dos recursos da operação de crédito. 

 Na segunda-feira (7), Kennedy Barros decidiu não conceder medida cautelar bloqueando o recebimento de R$ 297 milhões, referente à segunda parcela do empréstimo, por entender que tal medida seria precipitada e extremamente prejudicial ao Piauí. Ao contrário da oposição, que tentar barrar a liberação dos recursos, com ações aqui no Piauí e em Brasília, o conselheiro considerou mais prudente determinar uma auditoria para verificar a realização das obras.  


Fonte: Paulo Pincel
PiauiHoje.com 

Dê sua opinião: