5000onon

Presa quadrilha que adulterava combustíveis no Piauí

Operação Estanque  

Atualizada às 9h20   

Entre as 16 pessoas presas até o momento na Operação Estanque, deflagrada na manhã de hoje (23), estão dois empresários e um advogado que ainda não tiveram os nomes revelados. Os suspeitos já se encontram no Instituto de Medicina Legal (IML) de Teresina, onde passam por exames. No total estão sendo cumpridos 23 mandados de prisão e 25 de busca e apreensão em Teresina, Capitão de Campos e nas cidades maranhenses Timon e Peritoró. 

  Matéria original às 8h30   

Uma força-tarefa formada por Agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO), Ministério Público do Trabalho (MPTPI) e Agência Nacional do Petróleo (ANP), deflagrou na manhã desta quarta-feira (23) a 'Operação Estanque', que desarticulou uma organização criminosa que adulterava combustível no Estado do Piauí. 

A PRF recebeu inúmeras denúncias de transporte irregular de combustível, com possíveis adulterações na gasolina transportada (com mistura de água), uso de rebites, bem como o desrespeito às leis trabalhistas e encaminhou o caso ao GAECO em função do Termo de Cooperação Técnica firmado entre esses Órgãos. 

A partir das informações encaminhas pela PRF, o GAECO iniciou as investigações no transporte e distribuição de combustível, constatando-se diversos ilícitos como: associação criminosa, furto e crimes contra a ordem econômica, tributária e ambiental. 

Diante dos fatos, foram expedidos mandados de prisão e de busca e apreensão a serem cumpridos pela PRF em Teresina, Capitão de Campos e nas cidades maranhenses Timon e Peritoró.  


Fonte: PRF

Dê sua opinião: