5000onon

Padeiro é preso e confessa que matou vizinha após discussão em bar

 
 Foto: André Sampaio

A vítima do feminicídio já foi identificada como a doméstica Silvana Maria da Paz Ferreira, 49 anos. O caso já comprovado, o acusado, o vizinho da vítima, o padeiro Regivaldo  Soares dos Santos, 36, foi preso hoje ao meio dia.

O acusado foi preso pela Polícia Militar do Piauí. Regivaldo estava escondido no povoado Jenipapo, em Nossa Senhora de Nazaré e confessou o crime. Segundo ele, as brigas entre os dois aconteciam costumeiramente, Regivando e a vítima discutiam por bobagens sempre, mas nesta madrugada a discussão ultrapassou os limites.

Segundo o Major Etevaldo Silva, comandante do 15º Batalhão, em Campo Maior, explicou o caso. "Segundo o autor, eles viviam bringando por motivos banais. Nessa madrugada, ela estava chegando de uma festa às 3 horas da manhã, ele estava na porta de casa e começou uma nova provocação. Regivaldo diz ter jogado um pedaço de pau em Silvana, que atingiu sua cabeça. A mesma até foi levada para o hospital da cidade, socorrida por uma vizinha, mas não resistiu", contou o major.

Regivaldo foi levado para a delegacial de Campo Maior, onde está detido. O padeiro já tem passagens na polícia por porte ilegal de armas.

Matéria Original

Uma mulher, que não teve a identidade revelada pela polícia, foi encontrada morta na madrugada deste domingo (06/05), na cidade de Campo Maior, 82 km de Teresina. O principal suspeito do crime é um vizinho da vítima que passou a ser considerado foragido pela polícia.

 De acordo com informações do Major Etevaldo Alves ao CidadeVerde.com, os dois tiveram uma discussão na noite anterior ao crime. A vítima foi encontrada ainda com vida por uma amiga, mas não resistiu aos ferimentos no pescoço. A suspeita da família é que ela foi morta por estrangulamento. 

Os principais indícios são marcas encontradas no pescoço dela.

 “Não é possível confirmar ainda o motivo da morte. A suspeita é que houve um estrangulamento. O suspeito é o vizinho que está foragido desde o momento do crime. Eles tiveram uma discussão em um bar horas antes de a vítima ser encontrada agonizando por uma amiga”, declarou. A amiga da vítima que chamou o Samu já foi encaminhada à delegacia para prestar depoimento. Major Etevaldo Alves afirma que somente a perícia vai confirmar o motivo da morte da mulher. “Pode ser estrangulamento ou mesmo um mal súbito. Só a perícia poderá dizer”, destacou.



   


Lídia Brito e Érica Paz Pereira

[email protected]



Dê sua opinião: