5000onon

Morte de Emile: juiz decreta prisão de militares

O juiz José Olindo Gil Barbosa, acatando representação do delegado Higgo Martins, designado pelo coordenador da Delegacia de Homicídios, Francisco da Chagas dos Santos Costa, o Bareta, para presidir o inquérito em torno da operação militar da noite da última segunda-feira  que resultou na morte da garota Emile Caetano, de 9 anos, decretou a prisão preventiva do soldado Aldo Luis Barbosa e do cabo PM Francisco Vinicius Alves, por crime de homicídio, deixando a discussão do mérito sobre se houve crime militar ou civil para o juiz que vai acompanhar o caso. A decisão vai na contramão da atitude da corregedoria da PM que enquadrou os militares como autores do crime de "lesão corporal grave seguida de morte e disparo em via pública" o que ameniza a pena dos acusados caso sejam condenados. O delegado se baseou no preceito constitucional de que crimes cometidos por militares contra civis devem ser apurados pela Polícia Judiciária. 

Os militares acusados do crime estão sob a custodia da Corregedoria no que chamam de presidio militar localizado n as imediações do BOPE.A Delegacia de homicídios vai cumprir o prazo legal de 10 dias para concluir o inquérito e encaminhá-lo para a Justiça. O delegado acusa os PMs de homicido doloso e não de lesão corporal seguida de morte como quer a corregedoria da PM. 

Resultado de imagem para delegado Higgo Martins 

  Higgo Martins     (Foto: Reprodução) 

Dê sua opinião: