Após 26 anos, Justiça condena três pessoas pela morte de ex-prefeito do Piaui

Registro na morte do ex-prefeito de Redenção de Gurguéia 
 Foto: Arquivo

Após 26 anos do assassinato do ex-prefeito de Redenção do Gurguéia, Joaquim Fonseca Santos, morto em 9 de abril de 1991, a justiça condenou na última terça-feira (28) três dos cinco réus condenados pelo crime. 

O julgamento durou mais de 24 horas e foi comandado pelo juiz de Bom Jesus, Elvio Ibsen Barreto de Souza Coutinho. Joaquim foi assassinado com um tiro nas costas quando jogava dominó em seu sítio, que fica a dois quilômetros de Redenção do Gurguéia. 

Foram condenados a 17 anos de reclusão o ex-vereador Gabriel Soares Mendes e Salvador Roberto de Amorim. Gabriel foi acusado de pagar 300 mil cruzeiros e entregar um revolver calibre 38 e munição para Salvador atirar em Joaquim. Já o motorista do prefeito na época, Edvaldo Alves Feitosa, o Didi, foi acusado de dar fuga ao atirador e terá pena de 15 anos de reclusão. 

Foram absolvidos Antônio Tavares de Sousa, o Antoninho, acusado de segurar os cachorros da propriedade do ex-prefeito para que o mesmo fosse morto e Aldemício de Sousa Nunes, irmão mandante do crime, e o advogado Dilson Marques Fernandes. O sexto suspeito de morte de Joaquim Fonseca é Termozires Barros Torres, que faleceu e foi retirado do processo. 

Na investigação, há indícios de que o assassinato ocorreu por questões políticas. Como a sentença foi em primeira instância, os réus que foram condenados não serão presos e poderão recorrer da sentença em liberdade ao Tribunal de Justiça do Piauí. 



Fonte: Com informações do B1
Editor: Alinny Maria 

Dê sua opinião: