Acusado de estupro e homicídio é condenado pelo Júri Popular em Campo Maior

Piranha 
 Piranha (Foto: Campo Maior em Foco)

O Tribunal do Júri da 1ª Vara da Comarca de Campo Maior se reuniu nesta quarta-feira (04/10) para julgar Antônio Francisco Vieira da Silva, o "Piranha", acusado de estuprar e matar uma criança de 9 anos, em janeiro de 2015, na comunidade Porção, em Campo Maior. Os jurados decidiram pela condenação de Piranha e o juiz Múccio Meira estabeleceu a pena de 33 anos de prisão, a ser cumprida em regime fechado. 

Durante a audiência o Ministério Público apresentou aos jurados as provas anexadas ao inquérito que apurou o crime da garota. Laudos mostram que houve estupro anal e vaginal, que a criança sofreu pancadas na região da cabeça e da coluna e o exame que comprova que Franciele morreu vítima de afogamento. 

Desde as primeiras horas do dia as ruas entorno do Fórum ficaram fechadas para o tráfego de veículos. Membros do Conselho Tutelar de Campo Maior, familiares e representantes de entidades sociais usaram camisas com a imagem de Franciele da Silva Santos em forma de protesto. Policiais estiveram no local para dar tranquilidade ao julgamento. 

Dentre as testemunhas ouvidas, a que mais causou comoção na sala de julgamento foi a da irmã da vítima, que relatou o cenário encontrado no dia do crime e detalhou os sonhos da vítima. “Era uma criança linda que sonhava em ser enfermeira”. A frase arrancou lágrimas dos presentes. 

A avó de Franciele afirmou aos jurados que 40 dias antes da morte da garota o acusado esteve em sua residência e comentou que a criança ‘estava crescendo e bonita´. A idosa chorou ao lamentar que nessa ocasião já deveria ter procurado a polícia. 



Fonte: Piauí Hoje 


Dê sua opinião: