Acusado da morte do cabo Claudemir muda de estado para “recomeçar a vida”

Leonardo Ferreira Neto, mandante do crime 
 Fonte: Divulgação / Polícia Civil

Leonardo Ferreira Lima, servidor concursado da Infraero e acusado de ser o mandante do assassinato do cabo do Bope, Claudemir Sousa, em dezembro de 2016, pediu transferência para de Teresina para Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, alegando necessidade de recomeço e risco de vida. A Infraero autorizou a mudança de local de trabalho do réu no dia 17 de janeiro de 2018, poucos dias após ele sair da prisão. 

Leonardo e mais sete pessoas envolvidas no assassinato do policial foram postos em liberdade no dia 9 de janeiro e passaram a aguardar o julgamento em liberdade. Todos os acusados não podem se ausentar de Teresina sem a devida autorização judicial, devendo cumprir o recolhimento domiciliar no período noturno, além de terem que comparecer perante juízo mensalmente. 

A transferência de Leonardo para Campo Grande só foi encaminhada ao Poder Judiciário no dia 24. Diante da situação, o Ministério Público, por meio do promotor Régis Marinho, solicitou a da liberdade provisória do réu na semana passada. 

A família da vítima ficou revoltada com a mudança de endereço de Leonardo, alegando que ele não tem direito de recomeçar a vida em outro lugar, mas sim pagar pelo que fez. 

Cabo Claudemir 
 Foto: Reprodução



Fonte: Piaui Hoje.com 




Dê sua opinião: