Wellington telefonou para suplentes que substituiria

Antes de revelar que substituiria quatro suplentes ( Mauro Tapety, Ismar Marques, B.Sá e Belê Medeiros ), para promover o retorno de titulares com a finalidade de evitar os votos contrários ao seu projeto de aumento de alíquota de ICMS, o governador Wellington Dias telefonou para cada um deles para explicar a sua decisão, que visa evitar os votos contrários de Sá e de Belê, que pertencem ao PP partido cuja direção decidiu não votar qualquer tipo de aumento.

Imagem relacionada

Wellington Dias   (Foto: Reprodução)


Quem já voltou

Atual secretário de Trabalho, Gessivaldo Isaias foi o primeiro a voltar para a Assembléia Legislativa do Estado com a finalidade de participar da votação na manhã desta quarta-feira.

Resultado de imagem para Gessivaldo Isaias

Gessivaldo Isaias  (Foto: Reprodução)


Pablo, Flávio e Santana

Estão voltando hoje para a Assembléia os titulares Pablo Santos, Zé Santana e Flávio Junior, todos com a finalidade de votar a favor do projeto do Governo.

Flávio Junior

Flávio Junior ( PDT ) está à frete da Secretaria de Turismo do Estado e segue rigorosamente a linha politica do governador Wellington Dias.

Resultado de imagem para Flávio Junior PDT

Flávio Junior    (Foto: Reprodução)


Pablo Santos

O médico Pablo Santos, deputado estadual, também volta por algumas horas para a Assembléia Legislativa do Estado.Atualmente ele é presidente da Fundação Estadual de Saúde do Estado.

Resultado de imagem para Pablo Santos Deputado Estadual

Pablo Santos     (Foto: Reprodução)


Zé Santana

Primeiro a ser nomeado depois de anunciado o acordo oficial do PMDB com o Governo, o deputado Zé Santana também volta por algumas horas para a Assembléia Legislativa com a mesma missão.

Resultado de imagem para Deputado Zé Santana

Zé Santana        (Foto: Reprodução)

   

Repercussão

A decisão do governador de promover a volta de quatro titulares para evitar os votos contrários de Belê Medeiros e B.Sá Filho, repercutiu durante a tarde de hoje.

"Está certo"

Governistas elogiaram a decisão do governador alegando que é preciso ter uma vitória expressiva na aprovação do projeto.

"Sem necessidade"

Oposicionistas que também não quiseram se identificar comentaram com este repórter que o governador não precisava tomar essa decisão porque  aprovaria com folga o projeto mesmo com os votos contrários dos integrantes do PP - Partido Progressista.

Dê sua opinião: