Declaração de Margarete é vista como ameaça ao Karnak

Durante a inauguração de uma obra de reforma do CEIR , na manhã de ontem, a vice-governadora Margarete Coelho, certamente com o aval do líder maior do Progressistas, Ciro Nogueira, subiu o tom de suas serenas declarações anteriores e disse que as mulheres do Piauí perderão muito se uma de suas representantes deixasse de ocupar o espaço em que ela se movimenta hoje.Disse também que seria uma perda considerável a ausência de Regina Sousa na chapa majoritária articulada por Wellington Dias para disputar a reeleição de governador.

Procurado pelos jornalistas, o  deputado Themístocles Sampaio Pereira Filho, que também estava no local, foi mais tranquilo, dizendo que a escolha da chapa é prerrogativa do governador, evitando qualquer comentário a favor da postulação do MDB, que é indicar o candidato a vice, no caso o próprio Themístocles.As declarações de Margarete Coelho, foram consideradas um recado para  Wellington: o Progressistas não abre mão de permanecer com a vaga de vice.

Foi esta a leitura feita nos bastidores da politica.Houve quem dissesse: "isso é uma ameaça do Ciro Nogueira".Margarete, certamente querendo comparar o seu partido com o MDB, disse, durante entrevistas que concedeu no local, que é preciso que se tenha fidelidade, densidade eleitoral e compromisso.

Procurados por este repórter, dois dirigentes do MDB, que pediram omissão de seus nomes em provavel comentário, disseram que o partido está absolutamente tranquilo.O MDB tem como certa a indicação do presidente da Assembléia Legislativa do Estado para compor ao lado de Wellington Dias.  

Resultado de imagem para Margarete Coelho 
 Vice- governadora Margarete Coelho (Foto: Reprodução)

Dê sua opinião: