5000onon

VLTs do Metrô são mais bem aceitos que o Inthegra do Firmino

A aquisição, pelo Governo do Estado, de três VLTs (Veículos Leves Sobre Trilhos) para o Metrô de Teresina, foi mais bem recebida pela população do que a integração dos ônibus, promovida pela Prefeitura. Nas redes sociais os comentários foram positivos, enquanto a integração tem provocado insatisfações nos passageiros, além de blitz da OAB para verificar in loco, tendo em vista as reclamações registradas na Ordem pelos usuários, o funcionamento do Inthegra.

Os VLTs não representam muita coisa diante da promessa feita pelo governador Wellington Dias, de ampliação do Metrô, ainda em dezembro de 2016. Ele anunciou que o governo do Estado licitaria, naquele ano, as obras de expansão do Metrô, do Centro, zona Leste e zona Sudeste, para a zona Norte e zona Sul da cidade. Foi dito que a licitação seria no valor de R$ 1 bilhão, sendo que o Governo investiria R$ 430 milhões e a iniciativa privada R$ 750 milhões.

Quando foi conhecer de perto os novos trens, em companhia do senador Ciro Nogueira e de alguns políticos estaduais e municipais, Wellington Dias mostrou-se empolgado. Sua assessoria de comunicação fez com que o assunto fosse destaque em todos os veículos de comunicação.Curiosamente, o prefeito Firmino Filho e ninguém da Prefeitura se fizeram presentes.

Segundo Antônio Sobral, diretor da Companhia Metropolitana de Teresina, cada trem custou R$ 15 milhões e o investimento total é de R$ 45 milhões, recursos do PAC Mobilidade Urbana, dentro do Programa de Modernização do Pacto Rodoviário. “O plano é adquirir seis novos trens, sendo que os três primeiros já foram adquiridos da empresa Bom Sinal e os demais ficarão para o próximo ano”, disse.

Segundo Antonio Sobral, os novos trens são climatizados, mais modernos, rápidos e confortáveis. Atualmente, o percurso total do Dirceu à Estação Central, na Praça da Bandeira, é de 34 minutos. O novo trem vai fazer o mesmo trajeto em 22 minutos, explicou Sobral, acrescentando que isso vai resultar no aumento do número de passageiros, que hoje é de cerca de 7.200 pessoas por dia, para 15.600.

O discurso de Temer

Em discurso no Palácio do Planalto, na última terça-feira (15), fazendo um balanço dos dois anos de sua gestão, o presidente Michel Temer (MDB) listou as ações tomadas pelo governo no período e disse que "tirou o Brasil do vermelho". O presidente fez questão de citar medidas que, para ele, ajudaram o país a superar a recessão econômica e a avançar em áreas como educação e segurança. A uma platéia formada por ministros e ex-ministros do governo, além de dirigentes de estatais, de autarquias federais e parlamentares, Temer disse que se sente "responsável" pelas escolhas que fez, "sempre pensando em um Brasil maior". No Senado, vários oradores de oposição chamaram o presidente de mentiroso

Empréstimos a servidores

Usando o tempo para pequenos avisos, o deputado Robert Rios (DEM) disse que a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil suspenderam as operações de crédito consignado para servidores públicos do Estado, por conta do não repasse dos descontos compulsórios feito pelo governo no contracheque desses servidores. Rios lamentou que a decisão dos referidos bancos tivesse sido tomada conforme sua previsão.

Capacitação

O Interlegis estará realizando, até a próxima sexta-feira (18), um curso de capacitação com representantes de 15 municípios na Assembleia Legislativa. As palestras, ministradas pelo representante do Programa no Piauí, James Medeiros, vão capacitar os representantes na operacionalização do portal na internet modelo, disponibilizado pelo Senador Federal para as câmaras municipais. “Durante toda a semana nós estaremos treinando os representantes de cada município, para que eles possam usar a ferramenta e alimentar de forma correta o novo portal – explicou James Medeiros.

Novo dono do triplex

O triplex do Guarujá, causados da prisão do ex-presidente Lula caiu nas mãos de outro condenado, o empresário Fernando Gontijo. O ganhador do leilão foi condenado por improbidade no âmbito da Operação Confraria, deflagrada em 2005 contra fraudes em licitações na Prefeitura de João Pessoa. Esta informação está no portal brasil247.

Significa que o triplex tinha que pertencer mesmo a um corrupto. A arrematação foi pelo valor de R$ 2,2 milhões.

Oposição desarmada

Sem ter como acompanhar in loco as ações do governo no interior, uma vez que a bancada governista rejeita todo e qualquer requerimento de pedido de informações, a bancada da oposição só dispõe agora da tribuna e da TV Assembleia, que transmite ao vivo as sessões.

Informação oficial, nem pensar. Vencerá quem tiver mais capacidade de convencer a população. O discurso mais convincente parece ser aquele de que o governo não tem como justificar, com documentos, atrasos de repasses para hospitais do interior e transporte escolar, mesmo sendo tais recursos oriundos do governo federal.

O humor de Robert Rios

Os debates de hoje (16) na Assembleia giraram em torno do líder do governo, Francisco Lima Lula, que pedia urgência para um projeto de privatização do Verdão. Os oradores de oposição faziam questão de dar ênfase ao acréscimo no nome parlamentar do colega petista, quando o deputado Robert Rios sugeriu que ele mandasse amputar o dedo mindinho, para ser mais autêntico. De quebra, ele indicou o deputado Dr. Pessoa como cirurgião da amputação, não apenas de Lima, mas de todos aqueles também fizeram alteração em seus nomes.

Missão espinhosa

O deputado Rubem Martins (PSB) será o representante da oposição na visita que uma comissão de deputados do governo fará ao presidente nacional da Caixa Econômica Federal, marcada para amanhã (17). O líder Robert Rios queria que fossem três oposicionistas na comissão, com passagens pagas pela Assembleia, depois que o presidente Themístocles Filho informou que apenas três passagens seriam pagas pelo poder. Daí surgiu o acerto para que Rubem Martins integrasse a comissão. Resta saber se o parlamentar vai dar informações contrárias sobre a aplicação da primeira parcela do empréstimo ou se apenas deseja mostrar que a oposição não é contra a liberação da segunda parcela.

O humor de cada dia

Na década de 1960, Teresina se abastecia de “leite In natura” e “carne da moita” produzidas da cidade de Timon. Os vendedores traziam os dois produtos em garupas de bicicletas e saiam oferecendo nas casas. Um terceiro produto, o arroz, era adquirido também nas oficinas de beneficiamento de Timon. Sobre o leite, alguns clientes se queixavam da mistura com água. Dizia-se que uma vez dois vendedores de leite estavam atravessando o rio com seus camburões e bicicletas, dentro de uma canoa, quando um disse para o outro, contemplando a imensa correnteza do Velho Monge”: 

- Já pensou se tudo isso fosse leite? O outro teria reagido:

- Tá maluco, cara? Onde era que a gente ia arranjar água para misturar com tanto leite?

Dê sua opinião: