5000onon

Quem fará oposição entre os novos eleitos para a AL

Passada a eleição, resta ao eleitor que votou nos que perderam decidir se aceita o resultado ou se ficará ao lado da oposição. No caso do Piauí os oposicionistas da Assembleia Legislativa serão outros, em sua maioria. Deixam o poder três dos mais combativos, Robert Rios, Luciano Nunes e Dr. Pessoa, o primeiro derrotado para o Senado e os outros dois para o governo do Estado.

Da base governista retornam os que mais enfrentaram a oposição, Francisco Lima e Fábio Novo (PT), os quais terão que aguardar o início da nova legislatura, para saber quem ficará contra o governo. É provável que, na despedida, os críticos derrotados prossigam até o final da legislatura com suas mesmas opiniões.

Entre os sete novos eleitos não se sabe ao certo quem fará oposição ao governo. É possível antever as posições de alguns, por suas filiações partidárias . Lucy (PP), Dr. Francisco Costa (PT), Henrique Pires (MDB) e Franzé Silva (PT) são claramente defensores do governo. O coronel Carlos Augusto comandou a Polícia Militar no governo Wellington Dias e não será diferente. Teresa Brito já se declara independente. Resta saber como atuará Oliveira Neto (PPS),

Marcelo Castro

O senador eleito Marcelo Castro explicou o êxito de sua campanha eleitoral em Teresina, destacando os recursos que liberou para o HUT, quando foi ministro da Saúde. Para o restante do Estado ele disse ter ajudado no que pode, citando melhorias nos hospitais de Floriano e de
Parnaíba, sendo que, neste último, o grande feito foi o tratamento para pacientes de Câncer, que eram obrigados vir à capital toda semana.

Pesquisas

Publicou o portal brasil247:”A pesquisa Vox/247 da véspera da eleição (6), financiada pelos eleitores, foi a que mais se aproximou do resultado das urnas em comparação às dos outros dois institutos de pesquisa mais tradicionais do país, o Ibope e o Datafolha; o destaque deu-se em relação à votação de Haddad, que apareceu subestimado nas pesquisas Ibope e Datafolha; ele teve 29,28% dos votos; na pesquisa Vox, aparecia com 30%; nas pesquisas do Ibope e Datafolha, 25%”.

O celular na apuração

Houve um momento na apuração dos votos para presidente em Teresina que o eleitorado do candidato Jair Bolsonaro chegou a soltar foguetes, em face da quase certeza de vitória no primeiro turno. De repente, tudo silenciou. Era a vantagem diminuindo. O celular em momentos tão
importantes de uma campanha eleitoral ajudou muito eleitor, por ser possível acompanhar os resultados diretamente da rua.

Haddad pessimista

Publicou o portal G1: “Com a apuração ainda em curso neste domingo (7), Fernando Haddad (PT) chegou a achar por um momento que estava fora do jogo. Ele acompanhava pela TV a evolução da votação com aliados e família em um hotel, em São Paulo e, mesmo quando diziam que a eleição não terminaria neste domingo, ele ponderava: cauteloso, achava que acordaria nesta segunda-feira (8) com Jair Bolsonaro (PSL) eleito presidente”.
Segundo turno

Já externei minha opinião sobre segundo turno nas eleições, mas agora repito em versos:

Neste segundo turno/Muita coisa vai mudar/Fazendo com que você/Possa se decepcionar/Com os tipos de acordos/Que vão se concretizar.

////////////

O segundo turno troca/Igreja por cabaré/Moralista muda o tom/E ateu passa a ter “fé”/Tudo vale na campanha/E salve-se quem puder

Mudança na equipe

O governador Wellington Dias está anunciando mudança em sua equipe de governo. Ele não teria como evitar, pois dos 30 deputados estaduais da nova legislatura 13 ocupam cargos de primeiro escalão – secretários ou equivalente. Dos 10 eleitos para a Câmara Federal, quatro estiveram em
postos executivos. Os dois campeões de voto para a Câmara Federal foram a esposa do governador, Rejane Dias, e o capitão Fábio Abreu, que ocupou a secretaria de Segurança.

O humor de cada dia

Joãozinho para a bicicleta em frente à Câmara dos deputados, quando
chega o policial e o adverte:

Tire sua bicicleta daí, pois os deputados vão passar.

O Joãozinho responde:

- Tem problema não. Eu passei o cadeado.

Dê sua opinião: