5000onon

Operação da PF repercute na Câmara e na Assembleia

A operação Topique, da Polícia Federal, foi o fato de maior repercussão nas redes sociais, embora a bancada da oposição na Assembleia tivesse passado quase uma semana (6 dias) para se pronunciar na tribuna. Finalmente, na sessão da última quarta-feira (8), o deputado Robert Rios fez contundente pronunciamento, o que afastou qualquer suspeita acomodação.

Na verdade, a oposição não poderia silenciar diante da operação da Polícia Federal, uma vez que o transporte escolar tem sido tema constante dos pronunciamentos, embora sem denúncia formal de desvio de recursos, mas tão somente do não repasse de tais recursos para as
empresas, o que causou a paralisação de algumas empresas, prejudicando enormemente os alunos, que podem perder o ano letivo.

Um fato curioso surgiu na discussão política do problema: o vereador Dudu declarou que vereadores e ex-vereadores teriam contratos com a Prefeitura para o transporte
escolar, o que considera muito grave. Ele apresentou requerimento pedindo informações à Prefeitura, mas o mesmo não foi aprovado. Dudu responsabilizou a líder do prefeito, vereadora Graça Amorim, mas ela reagiu dizendo que o colega do PT está querendo desviar o foco da investigação policial na Seduc.

Nas declarações que prestou aos meios de comunicação, o vereador Dudu explicou que seu papel é buscar informações sobre o que se passa no município, dando a entender que os assuntos de abrangência estadual são de competência dos deputados. Como a bancada da oposição na Assembleia deseja criar uma CPI para apurar o problema da Seduc, é natural que a população agora acompanhe os debates nas duas casas legislativas. Na Assembleia a repercussão é maior, devido à transmissão ao vivo, pela TV, das sessões plenárias

O Sonho de Addad

Publicou o portal brasil247:”Em entrevista à Rádio Guaíba do Rio Grande do Sul, Fernando Haddad, candidato à vice-presidência na chapa de Lula e seu porta voz, apontou que Lula é a antítese de tudo o que representam Temer e o PSDB e afirmou que a chapa está realizando todos os esforços para fazer cumprir o código eleitoral, que prevê que candidaturas sub judice também devem ter espaço em debates e entrevistas; ele declarou ainda que será um orgulho poder ceder o lugar de vice a Manuela D'ávila quando Lula for confirmado candidato”

Maria da Penha lembrada na AL

O deputado Francisco Limma (PT) discursou da tribuna da Assembleia Legislativa na última terça-feira (7), para lembrar os 12 anos de criação da Lei n° 11.340/2006, a Lei Maria da Penha. Ele lamentou o crescimento da violência contra as mulheres no Piauí e no Brasil. Citando a Portaria nº 15/2017, do Conselho Nacional de Justiça, que instituiu a política de enfrentamento à violência contra as mulheres,
Lima fez uma retrospectiva da violência sofrida pela mulher que deu nome à lei.

CPI sobre transporte escolar.

Ao discursar na sessão plenária da última quarta-feira (8) o deputado Robert Rios (DEM), líder da oposição, disse que na próxima semana espera apresentar requerimento solicitando a abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar denúncias de desvio de
recursos destinados ao transporte escolar no Piauí. Segundo ele, até o momento conta com oito assinaturas e a previsão de mais três colegas apoiarem a iniciativa. Em apartes, os deputados Rubem Martins (PSB) e Dr. Pessoa (SDD) disseram que são a favor da instalação da CPI.

Lição política do passado

Escreveu Flávio Nogueira, no facebook: “Em 1950, criou-se o neologismo político “cristinianização” para designar infidelidade partidária. Naquele ano realizavam-se eleições presidenciais. O PSD, partido do presidente Gaspar Dutra, teve como candidato o mineiro Cristiano Machado. O PTB marchou com Getúlio Vargas-que voltava do exílio voluntário em suas fazendas de São Borja (RS), depois do golpe que o derrubou em 1945. Pela UDN- sigla estigmatizada de golpista- o marechal Eduardo Gomes, “solteiro e bonito”, encontrava nas “balzaquianas” enorme simpatia. Getúlio ganhou folgado. Os pesedistas traíram fragorosamente Cristiano- ficando em terceiro lugar”.

Cai o aborto na Argentina

 Senado da Argentina sobre o aborto terá repercussão desfavorável aos que pregam a medida no Brasil. Algumas entidades brasileiras tinham como certa a aprovação do aborto no país vizinho, mas a rejeição falou mais alto. Foram 16 horas de sessão secreta, em que 38 senadores votaram contra, 31 votaram a favor e apenas dois se abstiveram. O projeto rejeitado previa a interrupção da gestação durante as primeiras 14 semanas. No Brasil se fala muito na gestação indesejada, mas os que pregam o aborto não se restringem a ela. O desejo é que qualquer mãe possa interromper a gestação, mesmo que tenha sido fruto da irresponsabilidade do casal. Preservativo masculino não é caro e anticoncepcional existe em toda farmácia.

Estupro no aniversário da lei M. da Penha

Uma adolescente de 13 anos foi estuprada no povoado Santa Tereza, entre Teresina e José de Freitas, no dia do aniversário da Lei Maria da Penha, (07 de 08). O pai da menor acusou o primo da vítima, que não teve a identidade revelada. Segundo o subtenente Ramon Rodrigues, do 5o Batalhão da Polícia Militar, a queixa foi registrada na última quarta-feira (8), mas quando a polícia caiu em campo o estuprador não mais se encontrava na região. A investigação vai ficar a cargo da Delegacia de Proteção à Criança e o Adolescente.

Convocação adiada

Por falta de quorum, requerimento de autoria do deputado Robert Rios, convocando o secretário de Educação, Hélder Jacobina, para falar sobre a operação Topique, que apura desvio de recursos destinados ao transporte escolar, deixou de ser aprovado. Na defesa de seu requerimento, Robert disse que a população está querendo explicações, uma vez que 23 pessoas foram presas. O líder do governo, Francisco Lima, afirmou que as denúncias ainda estão sendo investigadas pela Polícia Federal e que é preciso aguardar o resultado do inquérito policial. Para ele, “está havendo interesse em politizar as investigações”.

O humor de cada dia

O cara estava com o carro no prego, pedindo a quem passava na rua para dar uma mãozinha, pra ver se o mesmo pegava no empurrão. Era numa subida e os colaboradores diziam em tom de brincadeira: “tira o pé do freio”. Apesar do deboche, o clima era de solidariedade total ao dono do veículo, até que apareceu um vagabundo para zombar de tudo e de todos, com esta desculpa:

- Só não vou lhe ajudar porque minha sogra está operada.

Dê sua opinião: