5000onon

Ministro insiste em candidatura de Michel Temer

O que a oposição vinha anunciando, uma estratégia do presidente Michel Temer para sair candidato à reeleição, sobretudo após a intervenção militar na Segurança do Rio de Janeiro, já é admitido pelo ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, que fez a defesa enfática de tal candidatura, afirmando que ele tem todas as chances de ganhar.

A possível candidatura de Temer, contudo, enfrenta resistência dentro do seu próprio partido, o MDB. Mas o ministro Carlos Marun prega que o governo precisa se preparar para o lançamento da candidatura. Ele
entende que a preocupação dos adversários indica que os que defendem o lançamento de Temer estão certos.

O líder do governo no Senado, Romero Jucá, reconduzido por mais um ano ao comando do MDB, ouviu a defesa feita por Marun, mas não seguiu na mesma toada. Disse que o partido trabalha para ter candidato próprio à Presidência, mas citou outros nomes além de Temer, incluindo o do ministro da Fazenda, Henrique Meireles, que está sem espaço no PSD e negocia sua filiação ao MDB.

“Nós estamos discutindo qual é o nome mais viável, mais factível, que possa ganhar as eleições”, afirmou Jucá. Em conversas reservadas, porém, dirigentes do MDB sustentam que Temer somente será candidato se, em abril, chegar a dois dígitos de aprovação. Temer é dono de altos índices de impopularidade,

Migração de bandidos

A migração de bandidos do Rio de Janeiro para outros estados, após a intervenção do Exército na Segurança, não preocupa apenas os deputados estaduais do Piauí e a senadora Regina Souza, que fez um alerta em discurso no Senado. O ministro da Defesa, Raul Jungmann, disse que o governo está preocupado com a possibilidade desse efeito colateral da intervenção. O assunto será tratado pelo futuro titular do Ministério da Segurança Pública com governadores.

Sonho de W. Dias

O governador Wellington Dias não aposta apenas em sua reeleição, mas na eleição de 22 deputados estaduais e oito federais. Quem revelou esse desejo do governador foi o seu líder na Assembleia, deputado João de Deus (PT).  Atualmente, o governo tem uma bancada majoritária na Assembleia, composta, em sua maioria, de suplentes. Essa sonhada vitória do governador tem cheiro de “ilusão”.
 ·
Maconheiros canadenses

Sob o título acima, escreveu o jornalista Cláudio Barros, no facebook: “Acabo de ouvir no CBN Brasil que o parlamento do Canadá deve aprovar o uso recreativo da maconha. Um estudo da consultoria Delloitte indica que o faturamento de empresas “maconhísticas” pode chegar a US$ 8 bilhões - quase R$ 30 bilhões. O estudo aponta ainda que 22% dos canadenses adultos fazem uso recreativo de canabis. Um em cinco adultos puxando baseado. Dá para entender a legalização”.

Luciano critica secretário

O deputado Luciano Nunes afirmou da tribuna da Assembleia que os servidores públicos que atuam nas penitenciárias do Estado foram taxados de inimigos pelo secretário de Justiça, Daniel Oliveira, e
comparados com facções criminosas em entrevista concedida pelo secretário em emissora local de TV. O deputado disse que foi um ato de desrespeito o secretário colocar todos os servidores no mesmo patamar de bandidos.

Gastos do governo com comida

O líder do Governo na Assembleia, deputado João de Deus (PT), rebateu as críticas da oposição sobre a falta de ações concretas do Governo no setor penitenciário do Estado, como a falta de recuperação do presídio de Esperantina, onde houve uma rebelião. Ele rebateu também acusações do deputado Robert Rios (PDT), que leu uma relação de gastos do governo com alimentação e aluguel de aeronaves.  João de Deus justificou a despesa criticada pelo colega da oposição no fato de que o governo recebe autoridades e está amparado por lei a levá-las para conhecer a gastronomia da capital.

Entrega de título

 Oreste Fratus, natural de Bérgamo, na Itália, receberá o título de cidadão piauiense no dia sete de março. O autor da homenagem é o deputado Henrique Rebêlo (PT). O Decreto Legislativo foi aprovado no
dia 19 de dezembro do ano passado. O homenageado trabalhou até se aposentar como funcionário no Banco Popular de Bérgamo e desenvolveu trabalho voluntário em diversas organizações da igreja católica. É presidente da Associação dos Amigos de Padre Pedro Balzi, que tem a finalidade de continuar as ações em escolas, centro de saúde, creches e centro de recuperação dos usuários de droga.

Recorde de requerimentos

A Assembleia bateu recorde em aprovação de requerimentos na sessão da últimas quinta-feira (22). Foram nada menos que Vinte, reivindicando a realização de obras para beneficiar a população e audiências públicas. Os parlamentares apresentaram ainda dois Projetos de Lei que serão analisados agora pela Comissão de Constituição e Justiça. A deputada Juliana Moraes Souza (MDB) apresentou três requerimentos, incluindo um pedindo informações à Companhia de Águas e Esgotos do Piauí (Agespisa) sobre a coleta de dejetos líquidos na área dos Tabuleiros Litorâneos em Parnaíba. Segundo ela, esses dejetos ameaçam a saúde da população e o meio ambiente.

Mais sargentos do que soldados

Segundo noticiou o site da Folha, a polícia do Rio de Janeiro tem mais sargentos do que soldados. Diz o texto: “uma medida adotada pelo governo do Rio na década de 1990 e acentuada ao longo dos anos levou a Polícia Militar a um colapso em sua organização hierárquica. Houve uma promoção desmedida de policiais dia

Esta era contada pelo saudoso ao posto de sargento e, na prática, a patente passou a ter mais homens do que seus subordinados, os soldados. Na ruas do Estado, a situação levou a improvisos
operacionais e interferiu diretamente na qualidade do policiamento. “Segundo especialistas em segurança pública. foi também um agravante para as finanças do Rio - já que os salários ficaram maiores, mesmo sem mudança de tarefas.

O humor da cada

jornalista Carlos Augusto de Araújo Lima: como chefe de jornalismo da TV Rádio Clube ele disse que um dia mandou o cinegrafista Chico Lobo, recém-chegado do interior do Maranhão, gravar um concerto de piano com o famoso pianista Arthur Moreira Lima, no Theatro 4 de Setembro. Á noitinha, ao avaliar as matérias para a edição do jornal, Carlos Augusto quis saber se o Chico Lobo tinha gravado o concerto, e ele
respondeu: “não gravei, Carlos. Quando eu cheguei no Theatro já tinham consertado o piano e o homem já estava era tocando.”

Dê sua opinião: