5000onon

“ O passado não perdoa”, ou “o que passou, passou”?

A oposição lutou bastante para conhecer o plano modificado de aplicação dos recursos da primeira parcela de um empréstimo junto à Caixa Econômica, indo ao Tribunal de Conas do Estado e à própria Justiça, mas não conseguiu. Enquanto isso, a bancada do governo lutava para conseguir a liberação da segunda parcela, indo aos mesmos organismos. A última vez foi ao ministro Edson Fachin.

Nos debates sobre a primeira parcela do empréstimo a bancada da oposição acusou o governo de desvio dos recursos, pois os mesmos teriam sido retirados da conta vinculada para a conta única do Estado.O povo nunca viu o plano de aplicação da primeira parcela do empréstimo, pois ele teria sido refeito.Os deputados da oposição sabem quais foram as obras prometidas e afirma, todos os dias, que nenhuma foi realizada.

No primeiro momento das discussões a oposição usou aquela filosofia de que “o passado não perdoa”. O governo teria que ser punido pela não aplicação dos recursos da primeira parcela. Agora, a filosofia parece ser aquela de que “o que passou, passou”. A crença generalizada é de que agora o governo não vai poder desviar os recursos da segunda parcela, pois eles só serão liberados da conta vinculada para as empresas que estiverem construindo das obras.

Vive-se o momento mais avançado da humanidade, que é ter acesso às informações através da internet, mas ninguém consegue ter acesso às listas de obras que o governo teria construído com a primeira parcela do empréstimo e muito menos a que contém as obras para os recursos da segunda. Assim, a filosofia de que “o passado não perdoa” é letra morta, enquanto a outra,”o que passou, passou”, não faz o governo ser transparente em relação ao misterioso empréstimo.

Dr. Pessoa em campo

O deputado Dr. Pessoa (SD) está distribuindo um impresso com suas realizações, incluindo as visitas que tem feito ao interior do Estado e as homenagens recebidas. Com farta ilustração ele narra o que tem feito na medicina, com sua vocação missionária. Ele é autor do projeto de resolução que pede o fim do voto secreto na Assembleia. Com letras garrafais ele sugere que a Bandeira Brasileira contenha: Ordem, Progresso e Justiça Social. No resumo biográfico de uma página. Dr. Pessoa confirma o que tem dito em plenário: somente aos 15 anos de idade começou a freqüentar a escola.

Teresina sem laranja

A população de Teresina entrou para o longo feriado de quinta a domingo sem o consumo de laranja. Os vendedores de rua e de supermercados entraram em longas filas, mas o produto que chegou em três caminhões não deu para quem quis. Vale destacar que o preço da laranja e da banana hoje são elevados. A zona rural de Teresina não produz frutas suficientes para a população. Tudo vem de fora e os preços são altos devido ao frete.

Desgoverno

Publicou o portal brasil247:"Hoje, vigora o pleno desgoverno, ao passo que as demais instituições políticas faliram, com Câmara, Senado, PGR, Supremo, com tudo. É regido por uma Lei Maior que, de tanto que foi desfigurada, não passa de uma contrafação constitucional", diz o colunista José Reinaldo de Carvalho; "O Brasil não se livrará da ameaça fascista que assoma através dos brados em favor do golpe militar se a esquerda não sair da confusão em que se encontra", afirma

Locomotivas

Escreveu no facebook, Luis Alberto Falcão: “Uma solução pra essa crise de desabastecimento: Utilizar a rede ferroviária da Vale do Rio Doce, de bitola larga, criminosamente privatizada pelo governo federal.

Substitui milhares de caminhões de norte a sul do Brasil, além de estancar a sangria, para o exterior, das nossas riquezas minerais. Não é FHC?

(Visitem no YouTube o quanto são fantásticos os trens de carga da Vale e tirem suas conclusões). Recentemente, babem, a Vale adquiriu, na Suíça, a locomotiva maior do mundo”!!!

Parte superior do formulário

 Amei

Cantor morre em acidente

O feriado de quinta-feira começou com uma notícia ruim, sobretudo para o meio artístico.O canataor Naldo de Oliveira morreu após se chocar com um poste de iluminação na Ponte Wall Ferraz, dirigindo  sua motocicleta.Segundo noticiou a TV Cidade Verde, o rapaz era vocalista da banda Merohomem e retornava de um show realizado na AABB, onde se apresentou o grupo de reggae Ponte de Equilibrio. Naldo se apresentaria com seu grupo no Festival de Inverno de Pedro II. A polícia não tem informações de como aconteceu o acidente. Não se sabe se o músico bateu  sozinho ou se foi fechado por algum veículo.

Conselho a Bolsonaro

Um candidato mais humano, que pregue o amor e a tolerância. É assim que o organizador da Marcha Para Jesus em São Paulo, o apóstolo Estevam Hernandes, defende que seja o pré-candidato Jair Bolsonaro, caso ele queira o apoio dos evangélicos. Bolsonaro teria participado do evento. Só tem uma coisa: se o pré-candidato seguir a orientação do evangélico perderá boa parte dos que o apóiam, pois se trata de um segmento que defende “mão de ferro” contra tudo o que considera errado no Brasil.

“Outro dia” na Assembleia

Segunda-feira será “outro dia” na Assembleia Legislativa, diante da informação de que a Caixa Econômica Federal concordou em liberar, em até cinco dias úteis, os R$ 315 milhões concedidos ao estado do Piauí através de empréstimo, via contrato de Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento, o chamado Finisa II. A bancada do governo tem tudo para festejar, enquanto a oposição terá que decidir se aposta no “daqui pra frente” ou se vai “passar a flanela” no discurso anterior, para que não envelheça.

O humor de cada dia

A deputada  Flora Izabel fazia importante pronunciamento sobre o Festival de Inverno de Pedro II, na sessão da última quarta-feira (30), quando um sujeito me fez interromper as anotações que fazia no plenário, para ouvi-lo. Disse ele, em tom muito sério:

- Você sabia que Pero II é a terra da opala? Eu respondi que sim e ele prosseguiu:

- Pois lá a opala está presente em tudo. Até mesmo quando uma pessoa faz uma cirurgia para atirar pedras dos rins essas pedras são de opala. Eu não tive outra alternativa, a não ser fingir que acreditei.

Dê sua opinião: