5000onon

De como perder tempo andando de ônibus em Teresina

Resultado de imagem para terminais de onibus teresina 
 Foto: Reprodução

Cito aqui um exemplo do que aconteceu comigo, nesta quarta-feira (18). Cheguei na parada do Saci às 07/30h. Esperei 10 minutos. Ao chegar no terminal o ônibus ficou na fila, pois a plataforma estava lotada. Lá se vão mais cinco minutos. Seguiu-se então a rotina de sempre, com os fiscais perguntando: “posso ajudar”? Apareceu o ônibus que eu queria, o Miguel Rosa Shopping. Tentei entrar, mas o fiscal disse que aquele ainda não estava na hora. Em seguida me explicou que o ônibus era apenas Miguel Rosa, e não Shopping. O motorista tinha esquecido de trocar o letreiro.

O ônibus que eu queria só chegou dez minutos depois e ainda passou mais dez para deixar o terminal. Somado o tempo de espera com o do percurso, o meu tempo perdido foi de uma hora e dez minutos.

Passageiros de outros bairros falaram de atrasos semelhantes. As queixas são, na sua maioria, de chegada ao trabalho com atraso. As conversas durante o percurso giram geralmente em torno da situação política a ser vivida pelo prefeito Firmino Filho. Os passageiros prometem não votar em candidatos que ele venha a apoiar.

 A conclusão a que cheguei foi de que só há uma justificativa para o eleitor ter que pegar dois ônibus: seria o primeiro ficar no pregoe ele ter que pegar outro. O que o novo sistema de transportes coletivos impôs aos usuários é mera estupidez da engenharia de trânsito. Se o coletivo tem condições para rodar do bairro até o centro, não há necessidade da baldeação. Duvido que um engenheiro de trânsito convença a população sobre a necessidade dos terminais. O dinheiro gasto na construção dos imponentes galpões daria para melhorar as frotas.

Os reboques da Strans

Funcionários da Assembleia e do TRE que estacionaram do lado esquerdo da rua tiveram seus carros rebocados na manhã desta quarta-feira (18) por agentes da Strans. A operação usou dois reboques, cada um com capacidade para dois veículos. Essa operação não é feita com frequência. Ela demora o tempo suficiente para os infratores suporem que os fiscais esqueceram. O que chama a atenção é a tolerância da Strans com aqueles que estacionam seus carros sobre a calçada do Colégio das Imãs, que chega a ter até 15 carros impedindo a passagem livre dos pedestres.

Madison muda o discurso

O deputado João Madison trocou o seu discurso de defensor intransigente do governo na Assembleia. Na sessão da última terça-feira (17) ele apresentou um requerimento solicitando do governo o pagamento de três meses atrasados dos médicos e funcionários do hospital de Corrente. Na tribuna ele foi veemente, chegando a receber assinaturas da oposição ao seu requerimento. Os “maldosos” chegaram a comentar que Madison tem um segundo motivo para se indispor com o governo: seria a indefinição do governador Wellington Dias sobre um nome do PMDB para vice em sua chapa. O deputado Júlio Arcoverde também apoiou o requerimento de Madison, dando a entender que o governo também desagrada o seu partido, o Progressista.

Temer e os ruralistas

Publicou nesta quarta-feira (18) o portal brasil247: “Após voltar a ser pressionado pela bancada ruralista, Michel Temer exonerou o presidente da Funai, Franklimberg Ribeiro de Freitas; demissão veio após um grupo de 40 senadores e deputados ligados ao setor apresentar uma carta ao emedebista alegando que o presidente da Funai estaria desconsiderando projetos de interesse da bancada ruralista; bancada ruralista vem sendo um dos principais pontos de apoio de Temer no Poder; custo deste apoio já teria custado cerca de R$ 30 bilhões aos cofres públicos, seja por meio de perdão de dívidas ou na liberação de emendas parlamentares, além da aprovação de projetos como ampliação de áreas desmatadas ou redução de compensações ambientais”

Pior que cachorro

O indivíduo que atacou com mordidas no rosto o próprio filho de menos de um mês de idade (ele suspeitou que o pai seja outro) não deve ser comparado com cachorro, por se tratar de animal irracional. Afinal, o cachorro morde geralmente quando é atacado ou em defesa da casa em que vive. A criança atacada continua no Hospital de Urgência, onde já passou por cirurgia. O agressor, identificado apenas como Francisco, se encontra preso e a polícia tem dez dias para concluir o inquérito.

Ele responderá também por agressão à mãe da criança.

Repercussão de fotografia

Repercutindo no facebook a fotografia dos senadores que foram a Curitiba para conhecer as condições do presídio em que se encontra o ex-presidente Lula. As críticas são sobre os trajes de pobres que cada visitante usou. A senadora Regina Souza foi a mais criticada, como mostra este comentário feito pelo vereador Edson Melo: “Nossa Senadora tem condições financeiras para se vestir melhor e melhorar o visual!

Senadora Regina parece que faz questão de ser brega”! A calça jeans e o blusão de meia preto do senador Lindbergh Farias fazem lembrar uma invasão do MST. É o que eu acho.

Cidadania piauiense

A requerimento do presidente Themístocles Filho (MDB), a Assembleia Legislativa realizou na manhã desta quarta-feira (18), sessão solene especial para a entrega do Título de Cidadão Piauiense ao Coronel Ronald Lúcio Carvalho Barbosa, Comandante da Guarnição Federal de Teresina. O homenageado é natural de Fortaleza, Ceará, filho de Raimundo Lima Barbosa e Maria Ludma Carvalho Barbosa, casado com Concita Barbosa e tem dois filhos: Ronald Lucas Barbosa e Rafael Lucas Santos Barbosa.

Críticas repetitivas

O líder do Governo na Assembleia, deputado Francisco Limma (PT), lamentou que a oposição venha insistindo em denunciar sem provas, repetindo há vários dias uma acusação contra o governo, como “um disco furado”, quando deveria se manifestar a favor da vinda das verbas, inclusive apresentando propostas para a aplicação desses recursos. Um integrante fez o seguinte comentário, fora da tribuna: “as críticas só deixarão de ser repetitivas quando o governo atender as reivindicações”.

O humor de cada dia

Caipira nunca tinha visto picolé, até que um dia um pequeno bar da cidade mais próxima ao seu povoado resolveu vender o produto. Foi um sucesso de vendas, logo nos primeiros dias. Jovens faziam fila na frente do estabelecimento. O caipira vendo aquilo foi lá e comprou nada menos que 20 picolés, colocando-os em sua maleta. Ao chegar em casa ele já foi dando a boa notícia, mas quando abriu a maleta se surpreendeu e gritou bem alto: “Os caras roubaram meus picolés e ainda mijaram em minhas roupas”!!!

Dê sua opinião: