5000onon

Abandono cultural em São João dos Patos

A pobreza cultural na cidade maranhense de São João dos Patos é palpável a qualquer visitante que conheça um pouco da história do município. As autoridades municipais nunca se preocuparam em preservar
os prédios onde viveram os membros mais importantes da família Rocha Santos, que fizeram história na política e no desenvolvimento econômico.

O prédio onde viveu a Prefeita Joana da Rocha Santos (Dona Noca), a primeira prefeita mulher do Brasil, foi parcialmente demolido para dar lugar a um galpão que hoje abriga “paredões” de som e onde a
barulheira não deixa as famílias dormirem em paz. O restante do prédio vive abandonado. Ressalte-se que Dona Noca fez história, tendo sido personagem central de uma minissérie da TV Globo (Filinta Cardoso, a Rainha do Agreste).

O prédio onde viveu o Capitão Antônio dos Reis Fonseca, personagem inimigo da prefeita na mesma minissérie e na vida real, está devidamente preservado, habitado por uma neta do antigo proprietário,
Felizardo Jorge de Souza. Trata-se de Almira de Sá Souza, que conserva na casa um quadro com fotografia do capitão e dados importantes sobre o mesmo. O prédio foi construído em 1901.

Já o patrimônio de Eurico Rocha Santos, principal líder industrial da cidade está preservado em grande parte. O sobrado onde ele viveu é habitado pela viúva Elza, hoje com mais de 90 anos de idade. Uma
capela ao lado, onde estão sepultados Noca e Eurico, também está preservada, bem como alguns prédios onde funcionaram lojas do grupo. A verdade é que os Rocha Santos são parte importante da história de São João dos Patos e por isso merecem ser reconhecidos pelo poder público.

Homenagem a Herculano

O jornalista Herculano Moraes, recentemente falecido, foi homenageado pela Academia de Letras, História e Ecologia de Pastos Bons, da qual ele era membro fundador. O presidente da Academia, Celso Barros
Coelho, esteve na cidade com uma comitiva de dez pessoas, no último final de semana, entre elas o responsável por esta coluna. Presidindo uma reunião precedida do lançamento da 48ª edição do jornal Pastos Bons, Celso teve aprovada uma proposta para aumentar de 30 para 40 o número de acadêmicos.

Festejo de São Bento

Ainda sobre Pastos Bons, informo que a cidade esteve em festa do seu padroeiro, São Bento, com a presença de filhos ilustres do município que anualmente comparecem para as festividades. A banda de música Mastruz com Leite se apresentou na cidade. Várias atividades culturais foram realizadas no período, como uma cavalgada e um festival de cachaça. As celebrações foram feitas na cidade baixa, onde fica a igreja de São Bento e também na cidade alta, onde ficam outra Igreja e a Casa Paroquial.

Festival Lula Livre

Escreveu o jornalista Cláudio Barros, no facebook: “Hoje meu feed foi tomado desde as 16 horas por insistentes mensagens de transmissão ao vivo de um certo festival Lula Livre. Ficou foi chato. Recebi inúmeras mensagens de um grupo com o pouco crível nome de “Jornalistas Livres”, mas com rabo preso ao PT; e do senador Humberto Costa. Sigo ambos no Facebook. Mas a insistência em eu assistir ao festival decorre de impulsionamento, ou seja, paga-se a rede social para ela me instar a ver o que o dr. Humberto e os “jornalistas livres” querem que eu veja:
um ato de adoração quase religiosa e totalmente dogmática ao mais famoso político preso no Brasil”.

Brincando de fome

Publicou o portal brasil247: “O PT vai convocar um jejum nacional para o dia 4 de agosto, data da convenção que vai oficializar a candidatura presidencial de Lula, informa a coluna Painel, do jornal Folha de S.
Paulo; o ato será em solidariedade aos militantes que farão greve de fome pela liberdade do ex-presidente; haverá um pedido para que os petistas levem alimentos a famílias das periferias do país”. Obs: o PT
é um partido que sempre combateu a fome. Como pode agora pregar o jejum?

O recado de Regina

Em entrevista à TV Cidade Verde, a senadora Regina Souza disse não acreditar em “corpo mole” dos partidos aliados do governo que tenham algum tipo de insatisfação. Ela acha que nenhum desses partidos é
obrigado a permanecer na coligação, mas se permanece é porque aceita. Regina Souza voltou a rebater as críticas que vem sofrendo nas redes sociais, achando que elas são movidas pelo preconceito. Para ela o preconceito é pela sua cor negra e pela maneira de se vestir. “Não me cobrem elegância, mas sim conteúdo” – desabafou.

Flávio Dino bem aceito

O governador do Maranhão, Flávio Dino, é bem aceito no interior do Estado. Constatei isso em recente viagem aos municípios de Barão de Grajaú, São João dos Patos e Pastos Bons. Ele é visto como um
governante que trata bem o funcionalismo, com pagamentos em dia e melhoria salarial. O mesmo não se pode dizer do governador Wellington Dias, de Teresina a Floriano. Nem mesmo a preferência do eleitorado desses municípios pelo ex-presidente Lula salva o governador.  

Exemplos dos animais

São cada vez mais freqüentes os exemplos que os animais dão aos homens, especialmente os cães.  Luiz Gonzaga citou o exemplo do cachorro na canção  morte do vaqueiro. Agora mesmo, cães estão sendo
usados para divertir crianças em um hospital de Goiânia, com resultado notório na terapia. Em Teresina um cão que acompanhou o dono até um hospital onde o mesmo faleceu foi adotado após ter permanecido quase um mês no local, demonstrando sua fidelidade. Enquanto isso, os humanos demonstram cada vez menos apego ao próximo. Hoje são freqüentes assassinatos de filhos pelos mais, de esposas pelos maridos e até de indefesos avós pelos netos.

O humor de cada dia

Nelson e Eusébio entraram em uma loja de chocolates. Como os funcionários estavam todos ocupados olhando ao redor, Eusébio roubou 3 barras de chocolate. Logo quando saíram da loja, Eusébio disse a
Nelson:
- Eu sou o melhor ladrão, roubei 3 chocolates e ninguém me viu. Você não conseguiria fazer isso.
Nelson respondeu:

- Você quer ver eu fazer algo melhor? Vamos voltar na loja e eu vou lhe ensinar como roubar.

Então eles foram até o balcão e Nelson disse ao lojista:

- Senhor, você quer ver um pouco de mágica?

O lojista respondeu:

- Sim, claro.

Nelson disse:

- Me dê um chocolate. O lojista deu um, e ele comeu. Nelson pediu o segundo e também o comeu. Ele pediu o terceiro e também o comeu. O lojista perguntou:

- Mas onde está a mágica?

Nelson respondeu:

- Veja no bolso do meu amigo e você vai encontrar todas as três barras de chocolate.

Dê sua opinião: